Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

Primeiro brasileiro campeão da NBA, Tiago Splitter anuncia aposentadoria

Fábio Balassiano

19/02/2018 08h21

Chegou ao fim a carreira de Tiago Splitter. Primeiro brasileiro campeão da NBA, o pivô de 33 anos não conseguiu se recuperar de forma perfeita da recente cirurgia no quadril que o deixou fora dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e está oficialmente deixando as quadras. A informação foi divulgada em uma entrevista publicada pelo site da emissora “SporTV'' nesta segunda-feira.

“Vou parar de jogar. É uma decisão que tomei nesses últimos meses, não é uma coisa que eu quero, mas a lesão que tive no quadril está sendo mais problemática do que a gente achava”, disse ao “SporTV''. “Você parar de fazer uma coisa que você fazia a vida inteira (é difícil)… Conversei com minha família, minha esposa, todo mundo e, realmente, chegou o momento de pendurar o tênis”, completou

Um dos melhores jogadores brasileiros deste século, Tiago Splitter começou a sua carreira fora do país. Contratado pelo Baskonia, da Espanha, muito cedo, morou no país Basco dos 15 aos 26 anos. Na temporada 2010/2011, ele foi para o San Antonio Spurs, time pelo qual foi titular e campeão da NBA em 2014 (vice-campeão no ano anterior também). Trocado do Spurs ao Atlanta Hawks em 2015, disputou uma temporada com a franquia da Geórgia. Se machucou em 2015/2016, perdeu a Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016, ainda jogou 8 partidas pelo Philadelphia 76ers em 2017 após a cirurgia no quadril mas não teve muito jeito.

Tiago chegou a comentar sobre as dificuldades para retornar às quadras comigo em entrevista no dia 25 de setembro do ano passado: “O quadril está beleza, zero bala. Mas estou em uma situação que todo jogador de fim de carreira acaba tendo. É triste falar essa expressão, né? Fim de carreira, mas é real. Você acaba tendo dor no corpo inteiro. Você acorda com a dor, treina e dorme com a dor. E a idade também acaba te apresentando algo novo – limitações físicas, que, por sua vez, limitam seu jogo. Voltei a jogar pelo Sixers na temporada passada, fiz oito jogos e me senti outro jogador. Sei que não é só comigo, isso acontece com todos os atletas do planeta, mas não me sinto o mesmo e você precisa ser realista'', afirmou à época.

Talvez projetando o que seria o final de sua carreira Tiago abriu outras frentes em sua vida recentemente. Participou, pelo lado da comissão técnica, das pré-temporadas da NBA para acompanhar do lado de fora da quadra como se organizar um período de treinamentos. Logo depois, como anunciado pelo blog em primeira mão em 18 de janeiro de 2018, Splitter foi técnico dos jovens no Camp promovido pela NBA no All-Star Game de Los Angeles que terminou ontem. Lá ele passou sua experiência aos atletas de todo mundo que estavam treinando e sendo monitorados pela liga norte-americana.

Antes disso, na Olimpíada de 2016, Tiago foi comentarista da Rede Globo no Rio-2016. E há menos de um mês ele lançou seu canal no YouTube com entrevistas especiais com atletas do mundo todo (já passaram por lá Anderson Varejão, Manu Ginóbili, Boris Diaw e Patrick Mills, por exemplo). Neste All-Star, Tiago também fez entrevistas no All-Star Game para a NBA Brasil.

Jogador de ótima técnica, Tiago Splitter fez carreira sólida na Europa, onde foi sempre cotado como um dos melhores pivôs do continente. Presente em todas as convocações da seleção brasileira, disputou a Olimpíada de 2012, em Londres, e sempre teve comportamento exemplar tanto dentro quanto fora das quadras.

O basquete brasileiro tem muito a agradecer a Tiago Splitter. E que ele tenha um pós-carreira tão brilhante quanto a vida profissional de jogador que ele teve.

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.