Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

Cinco novatos para ficarmos de olho na próxima temporada da NBA

Fábio Balassiano

09/10/2019 05h58

CHRIS GRAYTHEN / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

O Draft de 2019 foi considerado um dos mais promissores dos últimos tempos. Principalmente pelas três primeiras posições, com jogadores que, segundo a mídia especializada, podem ajudar a transformar as suas franquias. O blog separou cinco novatos para ficarmos de olho na temporada da NBA que começa no dia 22 de outubro. Vamos lá:

Zion Williamson (New Orleans Pelicans) -> Primeiro escolhido no último Draft, Zion é disparado o principal nome da turma de 2019. Foi tema de texto por aqui recentemente. É um "trator" físico, muito forte, e impactará o time sobretudo em relação a mídia, já que o Pelicans terá mais jogos televisionados nacionalmente (31) do que nos últimos anos. A questão é como o novo camisa 1 do Pelicans conseguirá traduzir seu jogo físico que obviamente tinha uma vantagem descomunal no universitário contra os também "touros físicos" da NBA. Seu jogo de meia-quadra e seus arremessos de média / longa distância precisam de ajustes, mas para um novato seu pacote é bem animador.

Ja Morant (Memphis Grizzlies) -> Um dos destaques do último torneio universitário (o March Madness), onde levou Murray State longe, o armador de 20 anos recém-completados foi recrutado pelo Memphis Grizzlies e tem a missão de substituir simplesmente a Mike Conley, um dos maiores ídolos da história da franquia. Pra sua sorte, a pressão no Grizz é diminuta, já que todos sabem que a equipe está em reconstrução, tentando ser grande novamente com ele, Morant, e Jaren Jackson Jr., dois jovens de bastante potencial.

RJ Barrett (New York Knicks) -> Está aí um jogador que estou curioso para assistir nesta temporada. O canadense de 19 anos jogará em uma franquia renomada, onde obviamente viverá pressão dia sim, outro também, e a gente sabe que pela Big Apple a palavra "paciência" é artigo de luxo. Ao lado de Kevin Knox, outro jovem jogador, Barrett pode formar uma boa dupla na ala por longo tempo, mas é bom ele começar a dar resultado rápido. Do outro lado da ponte, em Nova Iorque, está o Brooklyn, que certamente vai crescer ainda mais em popularidade e vitórias. Ser coadjuvante, pro Knicks, do Nets pode ser demais para os nova-iorquinos.

Jarrett Culver (Minnesota Timberwolves) -> O bom ala de Texas Tech deu uma sorte danada no último Draft. Escolhido na sexta posição pelo errático Phoenix Suns, ele acabou trocado imediatamente para o Minnesota Timberwolves, franquia menos tradicional porém menos desfuncional também em relação ao Suns. Lá ele jogará ao lado de Karl Anthony-Towns, terá tempo de quadra e poderá atuar junto de Andrew Wiggins, bom ala canadense. Aos 20 anos, o ala de 2,01m pode ser um bom encaixe em um Wolves que ainda busca identidade.

Rui Hachimura (Washington Wizards) -> Estou curioso para ver como o japonês da turma da capital, nona escolha do Draft e uma das estrelas de Gonzaga na última temporada do universitário, vai conseguir performar em uma franquia que tem sido pra lá de "maluca" nos mais recentes campeonatos. Há um feudo de disputa entre John Wall, o armador, e o ala Bradley Beal, e aparentemente Hachimura, de 2,06m e 21 anos, será um complemento para eles. O jogador, que participou do Mundial da China com sua seleção e é presença certa na Olimpíada de 2020 em casa, tem ótima técnica, boa visão de jogo e capacidade para espaçar a quadra para arremessar de fora.

Será que destes cinco sai o calouro do ano da temporada 2019/2020 da NBA?

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.

Blog Bala na Cesta