Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

Anthony Davis, Top10 da NBA, pede pra ser trocado - o que LeBron tem a ver com isso?

Fábio Balassiano

2029-01-20T19:05:10

29/01/2019 05h10

No dia 10 de setembro de 2018 eu escrevi aqui sobre a face não tão recomendável de LeBron James, um dos melhores jogadores do planeta. Escrevi o seguinte e reforço agora:

"Escolhido no Draft de 2003 pelo Cleveland Cavs, LeBron James entrou na liga agenciado por Leon Rose, da Creative Arts Agency (CAA), uma das maiores empresas de agenciamento de atletas do mundo (hoje tem na carteira, entre outros, Chris Paul, Victor Oladipo, Carmelo Anthony e Joel Embiid). O mundo ficou bem chocado quando, em 2012 na época de sua polêmica ida para Miami, LeBron James anunciou a sua saída da CAA para se juntar a Klutch Sports Group, cujo time de atletas no cardápio incluiria… apenas LeBron James.

E aí o motivo é meio óbvio. Sabendo que quando se tem um empresário se deixa dinheiro na mesa (ou no bolso do cara), LeBron James colocou Rich Paul, seu amigo de longa data e que à época estava desempregado em Ohio, para ser o dono / sócio da empresa. Para fins regulatórios, já que a NBA não permite que um atleta seja dono de empresa de agenciamento de atletas, Paul é o dono da Klutch, e LeBron um dos clientes. Precisa ser muito lunático, no entanto, para acreditar nisso, que LBJ é um cliente como outro qualquer.

O lance todo não é que a empresa existe por causa de LeBron e exclusivamente para atender às demandas de LeBron. Isso seria até, digamos, ok se parasse por aí. A questão é que a Klutch explodiu nos últimos anos à medida que o nome / vulto de James cresceu ao redor da liga com títulos, recordes, dinheiro entrando e tudo mais. E a gente sabe como nomes icônicos como LeBron exercem verdadeira dominância sobretudo nos mais jovens.

Entre os atletas que hoje fazem parte do time da empresa estão nomes como Ben Simmons (do Sixers e melhor calouro da temporada passada e chamado por King James de Prince, príncipe…), John Wall (Wizards), Tristan Thompson (Cavs) e mais recentemente Anthony Davis (Pelicans). De acordo com o Hoopshype, a empresa possui 17 atletas e movimentará mais de US$ 160 milhões em salários em 2018/2019 na NBA".

Pois bem. Adivinhem quem ontem avisou a seu time que não renovará depois da temporada 2019/2020 e que gostaria de ser trocado? Anthony Davis, ala do New Orleans Pelicans e um dos 10 melhores jogadores da NBA atual (informação do Woj, da ESPN gringa). Má vá, é sério mesmo? Sim, é verdade.

Não só é sério como vejam só a coincidência dos fatos – só coincidência, claro. No final do ano passado, LeBron, agenciado pelo mesmo "empresário" de Davis, seu amigão Rich Paul, alguém que NUNCA havia exercido a função na vida, disse que seria "incrível" atuar do lado do Monocelha. Os donos das franquias ficaram revoltados com o "chamego" indevido de James e a NBA emitiu uma nota oficial dizendo que de acordo com as regras este tipo de frase se configura em um aliciamento ilegal (mais aqui). Não custa lembrar que meses antes o camisa 23 do Lakers ARQUITETOU a ida de Tyson Chandler do Phoenix Suns para o time angelino. O gerente-geral do Suns? Seu ex-companheiro James Jones.

Pra piorar a situação, na semana passada em uma entrevista ao site The Athletic (sensacional o site aliás!), Magic Johnson, manda-chuva do Lakers, afirmou que a franquia não esperaria muito para ter uma segunda estrela e que se fosse possível fazer a negociação até o final da janela de transferências (7 de fevereiro), eles assim procederiam.

O que acontece menos de 10 dias depois? Davis avisa, através de seu agente Rich Paul, que não assinará a extensão contratual com o Pelicans e que deseja ser trocado. Ele não precisou dizer que gostaria de jogar com seu amigão LeBron James no Los Angeles Lakers por um cenário peculiar, mas certamente visto por Rich Paul e demais profissionais da Klutch Sports.

O time que tem mais "material" para entregar ao New Orleans é o Boston Celtics, dono de peças jovens, picks altos de Draft e jogadores já comprovadamente valiosos. Uai, então por que o Celtics não vai agora em cima dos Pelicans por Davis, desejo antigo dos verdes aliás? Simplesmente porque de acordo com regras da liga a principal peça da equipe (Kyrie Irving) encontra-se na mesma situação contratual que Davis – e a NBA só permite um deles na famosa "Rose Rules" por elenco. Sendo assim, o Boston só pode chegar em Anthony Davis para fechar negócio em julho, quando Irving poderá assinar um novo contrato. Será que o New Orleans aguenta o tranco até lá, esperando decididamente a melhor oferta – e não mandar o seu camisa 23 para onde parece o cenário mais desejado pelo seu empresário?

Do ponto de vista esportivo, e pra fechar o assunto, Davis não está errado. É um cracaço de bola, um dos melhores jogadores do planeta e está cansado de carregar nas costas uma franquia pequena e que NUNCA lhe deu peças para brigar pelo título. Isso não é o problema, é bem justo e compreensível mesmo. A forma como isso está sendo conduzido é patética, absurda, constrangedora até. Um cara que sempre construiu muito bem o que fez profissionalmente está jogando tudo por água abaixo de uma maneira desnecessária.

Harry How / GETTY IMAGES NORTH

O outro lado da moeda também merece ser levado em conta – e bem em conta. LeBron James é um dos melhores de todos os tempos, mas a maneira como ele tem feito as funções de empresário, gerente-geral e diretor de franquia beira o patético (e é pra lá de imoral pra dizer o mínimo). Só não é mais absurda que a forma como a mídia, principalmente a norte-americana, opta por ignorar isso para manter seu principal garoto propaganda como o bonitinho da história. Se não dá pra acusar, chamá-lo de canalha pra baixo (não é isso, decididamente!), o básico disso aí seria questionar o rapaz a respeito do que acontecendo – pra começar a história.

No final da noite de ontem, aliás, a franquia Pelicans emitiu uma nota oficial confirmando as informações do Woj e informando que, sim, Anthony Davis pediu mesmo para ser trocado e que explorará as melhores possibilidades para tal (a melhor, obviamente, atende por transferir o rapaz ao final do campeonato e ver TODAS as ofertas na mesa – inclusive a de Boston que só pode chegar quando acabar a temporada). A diretoria, porém, termina a nota de forma bem enfática dizendo que pedirá à NBA para reforçar as regras contra o aliciamento ilegal de atletas (feito por atletas ou empresários). Basicamente o New Orleans quer que as regras sejam cumpridas por Zezinho, Huguinho, Rich Paul e LeBron James. Logo depois a liga confirmou que abrirá sindicância pra investigar o que está ocorrendo neste caso.

O agente, ou testa de ferro, de LeBron, sei lá como vocês querem chamar, não pode ter uma influência tão grande assim em TODOS os próximos passos da liga que acabam… por beneficiar seu principal cliente – James. A situação toda é bem lamentável e é triste ver que uma liga tão séria e profissional como a NBA negligencia, neste momento, valores como transparência e regulação justamente porque estaria incomodando um de seus principais atletas.

A regra, ao que parece, não vale para todos.

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.