Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

Previsão da temporada da NBA: os 15 do Oeste

Fábio Balassiano

12/10/2018 00h34

Ontem você leu aqui a prévia da conferência Leste. Agora é a vez do Oeste, que terá pela primeira vez LeBron James! Terá, também, o Warriors brigando pelo tricampeonato seguido, o Rockets de James Harden tentando desbancar os californianos, um San Antonio Spurs em crise de identidade e muito mais. Confiram as análises dos 15 times.

Dallas Mavs: Nesta que pode ser a última temporada de Dirk Nowitzki, os olhos do Dallas se voltam para a armação, que ficará a cargo de Dennis Smith Jr. e do excepcional calouro Luka Doncic (mais abaixo). O time trouxe DeAndre Jordan para o pivô, espera que Harrison Barnes e Wes Matthews se mantenham saudáveis e torce para que o irmão de Giannis, Kostas Antetokounmpo, se torne uma ótima peça para o elenco também. O técnico continua sendo Rick Carlisle, um dos melhores da NBA.
Fique de olho: Dirk Nowitzki é o maior nome da história da franquia e está pertinho de se despedir, mas os olhos ficam em cima de Luka Doncic, o calouro esloveno que veio do Real Madrid para reforçar os texanos. A julgar pela pré-temporada, Doncic está mais preparado que quase todo mundo poderia imaginar.
Expectativa: Playoff é um sonho. Não impossível, mas ainda um sonho.

Denver Nuggets: O time que bateu na trave para entra no playoff de 2018 vem mais confiante para a temporada 2018/2019. Manteve grande parte do elenco, adicionou Isaiah Thomas para sair do banco, renovou com Nikola Jokic e espera que ele e Jamaal Murray, armador canadense, sejam os pilares do time para o futuro. Além deles chamam atenção Gary Harris, Will Barton e Paul Millsap. A grande dúvida é se o calouro Michael Porter Jr., com problema crônico nas costas, jogará ou não neste campeonato.
Fique de olho: Em Isaiah Thomas mesmo. O baixinho ex-Boston foi tema de texto aqui recentemente e busca voltar a ter o destaque que tinha no Celtics. Ainda se recuperando de problema no quadril, Thomas sabe que precisa de uma temporada convincente para provar ao mercado que pode receber um novo contrato grande.
Expectativa: Acredito que o Denver vá ao playoff, sim. É por isso que o time briga da primeira a última rodada da fase regular.

Golden State Warriors: O melhor time da NBA perdeu JaVale McGee mas ganhou "só" um dos melhores pivôs da atualidade. DeMarcus Cousins chega para tornar o Warriors ainda mais espetacular, e não creio que precise me alongar mais quando cito que o quinteto titular terá Steph Curry, Klay Thompson, Kevin Durant, Draymond Green e Cousins. Com Andre Iguodala no banco. Com Jonas Jerebko no banco. Com Shaun Livingston no banco. Com Steve Kerr de técnico. A franquia de Oakland é esplêndida.
Fique de olho: Em Kevin Durant. De novo em último ano de contrato, o camisa 35 e MVP das últimas 2 finais é um dos melhores jogadores da NBA atual e tem tudo para reconquistar o troféu de MVP da temporada regular também. Craque indiscutível, Durant descansou bem nas férias e pode ser ainda mais letal que nos anos anteriores.
Expectativa: Título, o terceiro consecutivo. Sem mais.

Houston Rockets: Os texanos perderam peças boas de defesa como Trevor Ariza, mas se reforçaram com Brandon Knight (lesionado ainda), Carmelo Anthony e Michael Carter-Williams. Bruno Caboclo, o brasileiro, ainda não tem presença certa no elenco, ao contrário de Nenê, mais uma vez como peça fundamental no banco do Houston. O ataque feroz texano ganha o reforço de Carmelo. A questão é como a defesa vai se adaptar a perda de Ariza, por exemplo, e a a chegada de Anthony (uma diferença abissal). O técnico Mike D'Antoni terá um trabalho gigantesco no vestiário para acomodar tudo isso.
Fique de olho: Em Carmelo Anthony. James Harden é o MVP, Chris Paul é fantástico, mas ninguém sabe o que esperar de Carmelo. Em queda livre nos últimos anos, o ex-ala de Knicks e Thunder precisa se adequar a uma nova realidade em sua carreira – ser menos estrela e mais carregador de piano. Caso ele aceite isso, o Houston ganha um reforço. Caso não, Melo passa a ser um baita problema de vestiário.
Expectativa: Final do Oeste é uma realidade. Ganhar do Warriors me parece difícil.

Los Angeles Clippers: Pra quem perdeu Chris Paul, Blake Griffin e DeAndre Jordan quase que de uma tacada só o Clippers até que está vivo. Conta com Patrick Beverley, Milos Teodosic, Danilo Gallinari (vai jogar, Gallo?), o calouro armador Shai Gilgeous-Alexander, Tobias Harris, o bom ala Luc Mbah a Moute, Avery Bradley e o ótimo Lou Williams vindo do banco. Dependendo do trabalho de Doc Rivers, é capaz deste time brigar pela última vaga do Oeste.
Fique de olho: Em Danilo Gallinari. Indiscutivelmente talentoso, o italiano entra em seu penúltimo ano de contrato e caso não renda por ser limado logo no começo da temporada.
Expectativa: Chegar ao playoff é a meta. Ousada, mas a meta.

Los Angeles Lakers: A franquia que contratou LeBron James e os veteranos Lance Stephenson, JaVale McGee, Rajon Rondo e Michael Beasley espera que a chegada deles provoque uma verdadeira (r)evolução gigante nos jovens Brandon Ingram, Josh Hart, Kyle Kuzma e sobretudo Lonzo Ball. Caso performem bem, o Lakers tem um núcleo para seguir no futuro. Caso não, Magic Johnson, o GM, e Luke Walton, o técnico, saberão que precisarão agir para movimentar ainda mais a equipe para dar a LeBron um time capaz de brigar pelo título do Oeste, algo inimaginável com o elenco que o Lakers atual possui.
Fique de olho: LeBron James. LeBron James. LeBron James. E se reclamar, mais LeBron James…
Expectativa: Playoff é realidade. Mando de quadra é uma meta difícil, mas alcançável.

Memphis Grizzlies: É um dos piores elencos da NBA. Desbalanceado, com duas estrelas acima dos 30 anos (Mike Conley, 31, e Marc Gasol, 33) e um técnico que nunca convenceu (J.B. Bickerstaff). O único nome bacana do elenco pensando nos próximos anos é mesmo o ala-pivô Jaren Jackson Jr., de 19 anos e ex-Michigan State. De resto…
Fique de olho: Em Marc Gasol. Pode ser o último ano de contrato do veterano pivô espanhol, que já disse estar insatisfeito com os rumos da franquia. Ele tem mercado, e pensando no futuro talvez faça sentido trocá-lo o quanto antes.
Expectativa: Draft de 2019. Só isso…

Minnesota Timberwolves: O que dizer de um time com um bom elenco mas que tem uma estrela dizendo que não quer jogar, que discute com outra estrela e que grita com o gerente-geral no primeiro treino dele na pré-temporada? Este é Jimmy Butler. Este é o Wolves. Karl-Anthony Towns renovou, Andrew Wiggins segue como incógnita se virará uma grande estrela, Tom Thibodeau está sendo questionado como técnico e Derrick Rose tenta reencontrar seus melhores dias. Para "melhorar" as coisas, Luol Deng foi contratado e ninguém sabe o que esperar dele. Era pra ser uma temporada calma pro Wolves.
Fique de olho: Em Jimmy Butler. Ou melhor: na troca que Jimmy Butler pode ser envolvido a qualquer momento. O clima entre ele e demais companheiros no vestiário anda pior que o das eleições brasileiras…
Expectativa: Elenco o Wolves tem para ir ao playoff. Mas os problemas de vestiário podem deixá-los de fora.

New Orleans Pelicans: Se perdeu Cousins, o Pelicans se reforçou com Julius Randle, ex-Lakers. Não é uma troca de igual pra igual, mas ao menos veio um jogador jovem e talentoso. O time perdeu Rajon Rondo, e trouxe Efrid Payton para seu lugar. Aí sim a perda é incrível. De todo modo, com Randle, Anthony Davis e Jrue Holiday é possível, sim, pensar em playoff.
Fique de olho: Em Anthony Davis, claro. Um dos melhores jogadores da NBA atual, o Monocelha recebe agora a companhia de Julius Randle no garrafão. Resta saber se Davis terá paciência de continuar apenas participando da liga ou se em breve pedirá para ser trocado por um candidato ao título.
Expectativa: Chegar ao playoff é a meta.

Oklahoma City Thunder: Russell Westbrook está lesionado, Paul George renovou, Carmelo saiu, mas chegaram Nerlens Noel e Dennis Schroeder para reforçar o banco de reservas. O problema do time continua sendo a ala-pivô, posição carente em toda liga aliás. Caso consiga se resolver com George atuando ali, ou Patrick Patterson jogando alguma coisa, o OKC pode ir longe.
Fique de olho: Em Steven Adams. O pivô da Nova Zelândia tem tudo para se firmar como um dos melhores e mais subestimados de toda liga. Ele é forte, ágil, altruísta e tem conseguido ser efetivo no ataque mesmo sem tantas jogadas para ele. Na defesa ele é excepcional e continuará a guiar a marcação do OKC.
Expectativa: Playoff é certeza. Mando de quadra, a chave para um playoff mais longo.

Phoenix Suns: Que zona é a franquia do Arizona. Demitiu o GM a menos de uma semana da temporada, tentou Steve Nash, não conseguiu e não sabe quem será o manda-chuva do basquete até agora. Tem Devin Booker, excelente ala, no elenco, Deandre Ayton chegando à liga como promessa, o reforço de Trevor Ariza e Ryan Anderson, o primeiro técnico gringo a comandar um time da NBA (o sérvio Igor Kokoskov), mas a única coisa que a gente espera do Phoenix são as confusões. Aguardemos pela primeira ali pelo sétimo ou oitavo dia da temporada.
Fique de olho: Em Devin Booker, que se recupera de lesão na mão. O talentoso ala-armador terá a companhia de Deandre Ayton, pivô escolhido com o número 1 no Draft.
Expectativa: Draft de 2019 com pick alto.

Portland Trail Blazers: O elenco é praticamente igual ao da temporada passada, e isso não é uma boa notícia para o Blazers. Damian Lillar continua por lá e como líder da franquia, mas é muito pouco para avançar no Oeste. Jusuf Nurkic renovou, ele é um bom pivô, mas não dá pra pensar em algo grande pro Portland ainda não.
Fique de olho: Em Damian Lillard, um cracaço da armação que joga praticamente sozinho neste Portland que precisaria se reforçar para dar a ele melhores companhias.
Expectativa: Playoff é possível, mas não uma certeza.

Sacramento Kings: Aquela zona de sempre na Califórnia, né? Há talento jovem em De'Aaron Fox, Marvin Bagley, Bogdan Bogdanovic e, vá lá, Buddy Hield, mas o restante do elenco é fraquíssimo e vira e mexe a franquia se mete em confusão com, sei lá, 10, 20 jogos da temporada regular.
Fique de olho: Marvin Bagley III, o calouro que vem da Universidade de Duke. Aos 19 anos e com quase 2,10m de altura, o ala-pivô deve ganhar muito tempo de quadra em um elenco totalmente disfuncional.
Expectativa: Fora do playoff e muita confusão.

San Antonio Spurs: Ano complicadíssimo para o San Antonio Spurs. Sem ninguém do núcleo campeão de anos atrás (Kawhi Leonard, Manu Ginóbili, Tony Parker, Tim Duncan ou Danny Green), o time de Gregg Popovich ainda perdeu Dejounte Murray para lesão no joelho a menos de uma semana da temporada. Com os reforços (relevantes) apenas de DeMar DeRozan e Marco Belinelli, podemos ver em 2019 pela primeira vez em quase 20 anos um playoff sem o San Antonio.
Fique de olho: Em DeMar DeRozan, que vem do Toronto Raptors e está mordido pacas para se mostrar útil em uma franquia gigantesca.
Expectativa: Chega aos playoffs. Mas é bom tomar cuidado…

Utah Jazz: Um dos mais organizados times da NBA, o Utah Jazz manteve o elenco quase inteiro e confia muito na dupla Donovan Mitchell e Rudy Gobert. O primeiro é uma máquina de pontuar. O pivô francês, um dos melhores defensores da NBA. O elenco, que ainda conta com o brasileiro Raulzinho, selecionou o fio desencapado Grayson Allen via Draft. Talentoso ala de Duke, caso se adapte à cultura do Jazz pode ser um ótimo par para Mitchell na ala.
Fique de olho: Em Donovan Mitchell, claro. O excepcional ala-armador treinou horrores nas férias e quer mostrar que pertence à elite da NBA. A julgar pelo que fez no primeiro ano, tem tudo para ser All-Star em 2019.
Expectativa: Vai pros playoffs. E com mando de quadra.

Concorda comigo? Comente você também!

 

 

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.