Bala na Cesta

Sete razões pra você ficar de olho nos playoffs da NBA que começam amanhã

Fábio Balassiano

Os playoffs da NBA começam amanhã (aqui dias, horários e transmissões completas desta primeira rodada) já com três jogos sendo exibidos para o Brasil e têm tudo para ser muito especiais. Amanhã faço as análises e os palpites de todos os oito duelos desta primeira rodada, prometo. Mas agora coloco abaixo 7 itens para ficarmos de olhos bem abertos no mata-mata do melhor basquete do mundo. Vamos lá:

1) James Harden x Russell Westbrook -> Ex-companheiros em Oklahoma no começo de suas carreiras, os agora candidatos a MVP da temporada 2016/2017 se enfrentam na primeira rodada no duelo envolvendo Houston Rockets e Oklahoma City Thunder. Em quadra estarão simplesmente 64 triplos-duplos desta fase regular (42 de Russ, 22 do Barba). O Houston é o grande favorito no confronto, tem mais elenco, um técnico mais experiente na NBA (Mike D'Antoni em relação a Billy Donovan, que é ótimo mas que está em seu segundo ano), mas vale a pena ficar de olhos bem abertos no que Russell Westbrook e o Thunder, totalmente franco atiradores e sem pressão alguma, podem fazer.

2) Cinco brasileiros em ação -> É bem verdade que apenas Nenê tem tido tempo de quadra razoável no Houston Rockets, mas teremos, além dele, outros três jogadores do país à disposição de seus respectivos times nesta pós-temporada da NBA. Cristiano Felício deve ter seus 10/15 minutos no Chicago Bulls que tem uma parada duríssima contra o Boston Celtics, Lucas Bebê e Bruno Caboclo estarão no elenco do Toronto Raptors que pega o Bucks, e Raulzinho, armador que ganhou um pouco mais de espaço pelo Utah Jazz neste final de fase regular como reserva da armação de George Hill, deverá aparecer contra o Clippers.

3) Durant, Curry e Klay juntos pela primeira vez no mata-mata -> O trio de ouro do Golden State Warriors jogou muito bem durante a fase regular até que Kevin Durant se machucou pouco depois do All-Star Game. KD, Steph Curry e Klay Thompson voltaram a atuar na mesma quadra apenas no sábado passado, quando o camisa 35 (Durant) retornou à ação. Agora eles estarão juntos contra o Portland para jogarem pela primeira vez juntos uma série de playoff. Promessa de quase 90 pontos por jogo da tríade.

4) Kawhi Leonard e o San Antonio Spurs -> O New England Patriots da NBA. Chega todo ano, incomoda todo ano, ''belisca'' todo ano. Tem chance todo ano. Em 2017 não é diferente, né? E nesta temporada com um diferencial: Kawhi Leonard teve desempenho fantástico, digno de MVP (não será eleito, mas jogou como tal). O camisa 2 do Spurs está entre os cinco melhores de ataque e de defesa da NBA, tem um confronto razoavelmente tranquilo contra o Memphis nesta primeira fase e tem tudo para embalar até o final da conferência, em um aguardado e possível duelo contra o Golden State Warriors. O elenco ainda conta com feras como Manu Ginóbili (argentino craque de bola!), Tony Parker, LaMarcus Aldridge, Pau Gasol, Danny Green, Patty Mills, entre outros ótimos jogadores.

5) Isaiah e o Boston líder do Leste -> Quem diria que em uma conferência com o Cleveland Cavs, de LeBron James, o Celtics conseguiria ser o primeiro, hein. Mas conseguiu. Com 53 vitórias (Cavs teve 51) a franquia liderou e terá o mando de quadra até o final do Leste graças ao baixinho Isaiah Thomas (1,75m), terceiro maior cestinha da NBA nesta temporada com 28,9 pontos e dono de desempenhos fantásticos em últimos períodos (quase dez pontos por jogo nos últimos 12 minutos de uma partida, melhor marca do século). Olho nos verdinhos e sobretudo na festa que será feita a partir de amanhã às 19h30 no TD Garden, no jogo 1 contra o perigoso Chicago Bulls (a ESPN exibe o primeiro duelo).

6) Não descartemos LeBron James -> A errática temporada regular de 2016/2017 do Cleveland traz motivos de sobra para ficarmos com um pé (ou os dois) atrás em relação a performance do Cavs nestes playoffs. O time foi de uma irregularidade atroz, a defesa pecou demais e em alguns momentos nem mesmo Kyrie Irving conseguiu elevar o nível para chegar perto de LeBron. As 51 vitórias desta primeira fase denotam o pior desempenho de um time de LeBron James desde que ele saiu de Cleveland rumo a Miami em 2011. Isso tudo, porém, pode ser esquecido se a equipe voltar a jogar o que sabe – ou o que apresentou no playoff do ano passado, quando foi campeã. Não dá, portanto, pra descartar o camisa 23 de Ohio.

7) A festa da torcida do Toronto… fora do ginásio -> Tá vendo esse mundo de gente na foto ao lado? Pois então. Foi durante o playoff de 2016 em Toronto do lado de fora do ginásio. Dentro do Air Canada Centre, quase 20 mil pessoas. Na praça em frente ao local, quase 100 mil pessoas por jogo assistiam e torciam juntas pela franquia canadense. Dá pra esperar exatamente a mesmíssima festa em 2017. Os torontinos são apaixonados pelo seu time e têm esperança de repetir de ir longe de novo neste ano.

Se a temporada 2016/2017 da NBA foi mega histórica, é hora de esperar que os playoffs sigam nesse ritmo incrível.