Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

Antes Patinho Feio, melhores do Leste se reforçam bem e animam playoff da conferência

Fábio Balassiano

2011-02-20T19:06:00

11/02/2019 06h00

  • Quatro dos cinco últimos títulos da NBA foram para a conferência Oeste (3 pro Golden State e um para o San Antonio Spurs – apenas o Cavs, em 2016, quebrou a sequência).
  • Cinco dos últimos MVP's também vieram do Oeste.
  • Nesta temporada, 10 times do mesmo Oeste possuem campanha positiva (mais vitórias que derrotas) e brigam por playoff (no Leste, apenas seis com mais triunfos que reveses).

Tem isso tudo, é fato. Mas as últimas semanas fizeram quatro dos principais candidatos ao título da conferência Leste darem um passo à frente e se colocarem em uma condição bem boa visando os playoffs. Vamos a eles:

Milwaukee Bucks -> O melhor time da temporada (41-14) tem em Giannis Antetokounmpo um cracaço de basquete (27,2 pontos, 12,5 rebotes e 5,8 assistências), candidato a MVP e potencialmente um dos jogadores mais dominantes da liga pelos próximos anos, mas não só isso.

Durante a temporada o Bucks já havia conseguido George Hill para a reserva da armação e no último dia de transferências da NBA (quinta-feira passada) obteve ainda Nikola Mirotic, ala que estava sendo cortejado pelos três principais times rivais da conferência e que também sairá do banco para reforçar a equipe (seu forte são as bolas de três e isso ajudará demais a equipe do técnico Mike Budenholzer).

Além deles, o Bucks tem Eric Bledsoe (armador), Brook Lopez (pivô, também contratado antes do campeonato), Malcolm Brogdon (ala que defensa muitíssimo bem) e o ótimo Khris Middleton, gatilho mais certeiro do time e um dos alas mais subestimados da liga (17,2 pontos e 38% nas bolas longas).

Divulgação Raptors

Toronto Raptors -> O Toronto que havia contratado Kawhi Leonard e Danny Green no começo da temporada tem 41-16 e foi arrojado na janela de transferências de quinta-feira. Arrojado e certeiro.

Superou o Charlotte Hornets, que namorava com Marc Gasol desde o começo do ano, conseguiu fisgar um dos melhores pivôs da NBA e fará com seus garrafão fique ainda mais forte com ele, Serge Ibaka e Paskal Siakam, ala que literalmente dobrou duas médias (de 7 em 2017/2018 para 15 pontos nesta temporada) e que vale a pena ficar de olho.

Todo mundo sabe que o problema dos canadenses é o começo da pós-temporada, onde nos últimos anos o lado psicológico acabou "matando" os caras e fazendo com que a equipe apresentasse uma qualidade bem menor do que os talentos do elenco poderia supor. O lance é que agora os torontinos possuem um novo líder (Kawhi Leonard, campeão e MVP de finais com o Spurs em 2014), um defensor de elite e com experiência em playoff (Marc Gasol) e outro atleta bem experiente (Danny Green) para auxiliar os mais jovens.

MITCHELL LEFF / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Philadelphia 76ers -> Eis um time para ficarmos BEM de olho daqui pro final da temporada. O Sixers que trucidou o Lakers na noite deste domingo por 143-120 tem 36-20, se aproxima dos líderes do Leste e foi o que mais se reforçou durante a temporada – e apenas com nomes de alto nível. Primeiro chegou Jimmy Butler, All-Star com experiência e ótima defesa.

Na semana passada, Tobias Harris, principal responsável por colocar o Los Angeles Clippers como uma das principais surpresas da temporada, desembarcou na Pensilvânia. De quebra, o Phila ainda conseguiu peças pro banco de reservas com Mike Scott, Boban Marjanovic, Jonathon Simmons e James Ennis. O quinteto titular com Ben Simmons, JJ Redick, Butler, Harris e o espetacular Joel Embiid é um dos mais fortes não só da conferência, mas de toda NBA.

Caso o técnico Brett Brown consiga dar um mínimo de entrosamento para estas peças o Sixers tem tudo para ir BEM longe na pós-temporada. Brilhante trabalho, também, do gerente-geral Elton Brand, que está em seu primeiro ano na função e consegue ser bem arrojado para colocar a franquia em posição de brigar por título de conferência logo de cara.

GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Boston Celtics -> Mistério, teu nome é Boston Celtics. A franquia mais dominante do Leste e maior vencedora da NBA teve de volta desde o início do campeonato Kyrie Irving (foto acima) e Gordon Hayward. Todo mundo pensava que seria o suficiente para os verdes tomarem a conferência, sem LeBron James pela primeira vez em anos, de assalto sem dó.

O Boston não está mal, tem 35-21 e briga por mando de quadra, mas é muito irregular, sem consistência alguma e com problemas internos graves. Semanas atrás Irving reclamou da falta de ambição e noção coletiva dos mais jovens. Ontem, depois da derrota vexatória para o arremedo do Clippers depois de vencer por 20 pontos na primeira etapa, foi a vez de Marcus Morris, outro veterano, repetir o discurso.

O técnico é bom (Brad Stevens), mas é muito óbvio que para brigar na pós-temporada o Boston terá que resolver seus problemas antes. Os jovens de fato são bons (Marcus Smart, Jayson Tatum, Terry Rozier, Jaylen Brown etc.), mas aparentemente há algo no vestiário que faz com que os Celtics não consigam atingir o máximo de suas capacidades. Se isso for resolvido, dá pra brigar, sim, pelo tão sonhado título do Leste.

Ainda poderia citar o Indiana Pacers, que ainda se encontra ali no meio dos quatro (na minha opinião) grandes favoritos, mas a lesão de Victor Oladipo faz a equipe ficar sensivelmente mais fraca.

De todo modo, e sendo muito transparente sobre o ainda favoritismo do Golden State Warriors ao prêmio máximo (o título da temporada), já dá pra dizer que o playoff daquela que era considerada a conferência mais fraca da NBA promete e muito a partir de abril.

São quatro times muito bons e que farão a pós-temporada ser bem animada no Leste.

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.