Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

O Popovich da Euroliga, por Rodrigo Salomão

Fábio Balassiano

25/11/2018 05h00

* Por Rodrigo Salomão

Voltamos aqui para falar novamente sobre Euroliga. Desta vez, com um tempero especial. Histórico. Pudemos acompanhar bem de perto, mais uma vez na Menorah Mivtachim Arena, o duelo entre o Maccabi Tel Aviv e o Fenerbahce. Os turcos estão entre os principais favoritos ao título desta temporada e são comandados por ninguém menos que Zeljko Obradovic, uma verdadeira lenda do basquete mundial. Oportunidade incrível, que não deixamos passar.

Para quem não sabe, uma rápida biografia com números que dão uma amostra da sua importância. Treinador desde 1992, já conquistou nada menos que 9 títulos de Euroliga. Uma ideia do tamanho do feito é perceber que o Real Madrid é o clube que mais venceu a competição, com dez troféus. O último deles há alguns meses, quando ambos estavam empatados e fizeram a grande decisão do Final Four. O homem é uma instituição em forma de gente.

O sérvio tem apenas 58 anos, embora não pareça. Sua trajetória como técnico começou em Belgrado, no Partizan, onde era jogador (e ainda se arrisca a dar seus arremessos, vale dizer). De lá para cá, venceu a liga mais importante do basquetebol europeu com o próprio Partizan, com o Joventut Badalona, com o Real Madrid, com o Panathinaikos (cinco vezes) e o mais recente, com o Fernerbahce, na penúltima temporada. E o reconhecimento disso é gigante até mesmo para os rivais.

Por onde vai, Obradovic é ovacionado. Assim que cheguei ao local destinado à imprensa, um colega de tribuna mal me deu oi e já foi falando que hoje era dia de apreciar o trabalho do "maior técnico da Euroliga de todos os tempos". A admiração não se restringe aos especialistas. Antes de a bola laranja começar a quicar, Obradovic parou para tirar fotos (inúmeras) com torcedores do Maccabi, a quem classificou de "povo que entende, respeita e ama muito o basquete".

A simpatia com que atendeu ao público é um contraste com o seu comportamento à beira da quadra. A transformação é bem clara. Quando o jogo começa, Obradovic passa a esbanjar seu repertório de caras e bocas – muitas vezes irritadas a ponto de ficar vermelho de uma forma até caricata – seja em jogadas bem ou mal sucedidas do time. É um show à parte acompanhar suas reações. A torcida (e a imprensa) se divertem. Mas seria esse o segredo para tanto sucesso? Ele garante que não:

"Eu tenho dois filhos. Quando venho treinar meu time, penso que meus jogadores também são filhos de outras pessoas. E os trato como gostaria que tratassem os meus filhos", afirmou na coletiva de imprensa.

O discurso, ao que tudo indica, não fica só nas palavras. Vários de seus atletas e ex-atletas relatam que Obradovic faz questão de conversar não apenas sobre o trabalho de quadra, mas também sobre cultura, política e até mesmo vinhos. É um gestor de pessoas num método que lembra bastante Gregg Popovich. E assim como o líder do San Antonio Spurs, vencer se tornou parte da rotina ao soar o cronômetro final. O que foi exatamente o que aconteceu na noite em que estivemos bem perto do mito. Vitória do Fenerbahce por 74-70. Apenas mais uma na caminhada rumo a outra taça. A oitava em nove jogos.

Curtinhas da Euroliga:

-> Outro sérvio agitou o mercado europeu nos últimos dias. Estamos falando de Milos Teodosic, armador que fez carreira na Euroliga e hoje atua na NBA, pelo Los Angeles Clippers. Os rumores de uma possível volta ainda nesta temporada aumentaram consideravelmente pelos lados de cá. Já tem muito time babando para repatriar o craque. Será?

-> Vai ter muito trabalho o novo treinador do Maccabi, o grego Giannis Sfairopoulos. O time acumula oito derrotas e apenas uma vitória. Na coletiva após o duelo com o Fener, o comandante destacou que foi a primeira vez na carreira em que teve dois jogos de Euroliga após apenas um treino feito. Pegou o bonde andando, num português claro. O tempo urge;

-> A rodada europeia foi propícia para quebrar tabus. Os então invictos CSKA e Real Madrid caíram para o Buducnost e o Olympiakos, respectivamente. Vale inclusive conferir a festa que os montenegrinos fizeram ao derrotar o poderoso time russo. O esporte é sempre maravilhoso;

-> Por falar em maravilhoso, fica a dica de dar uma olhada na sensacional entrevista pós-jogo de David Blatt – o ilustre treinador do Olympiakos e ex-Cavs – depois de vencer o Real na Grécia. Divertidíssima e de ótimo humor, sobrou até para Michelle Obama na conversa.

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.