Bala na Cesta

Em evolução, seleção masculina faz o dever de casa e fecha bem primeira janela das eliminatórias

Fábio Balassiano

27/11/2017 22h00

Acabou há instantes a segunda partida do Brasil nas eliminatórias da Copa do Mundo da China de 2019. E o time do croata Aleksandar Petrovic jogou bem de novo, fez 72-60, conseguiu a segunda vitória e terminou a primeira janela da maneira que gostaria (batendo chilenos fora de casa e venezuelanos diante da torcida. Anderson Varejão, com 16 pontos e 11 rebotes, Alex (9 pontos, 6 rebotes e 7 assistências) e Vitor Benite (10 pontos), foram os grandes destaques. A seleção volta a jogar no dia 22 de fevereiro, ainda sem local definido, contra a Colômbia em casa. Três dias depois é a vez, também no Brasil, contra o Chile.

Diante de uma Venezuela bem frágil o Brasil fez o que deveria fazer: marcou pesado desde o começo, espaçou a quadra para permitir infiltrações e arremessos sem marcação, foi intenso para comer do ataque pra defesa e vice-versa. Com isso a vantagem no placar foi aumentando, aumentando e aumentando. Incrível desde o início, Anderson Varejão marcou oito pontos nos dez minutos iniciais, que terminaram com 19-7 pro time brasileiro.

A segunda parcial viu Yago sair do banco para infernizar os venezuelanos, Leo Meindl novamente muito bem e Alex voando como sempre. No intervalo, incontestáveis 39-20 em uma atuação bem consistentes do time de Petrovic, que apresentou boas movimentações com e sem bola, velocidade nos corta-luzes, agilidade para as rotações defensivas e ferocidade para atacar a cesta quando necessário.

A segunda etapa começou com um susto quando Anderson Varejão foi ao solo e sentiu o joelho (retornou à partida depois), mas a vantagem do placar a favor do Brasil se manteve sem muito esforço. O Brasil oscilou um pouco, natural pra um começo de trabalho e de temporada, além do fato de o adversário não oferecer nenhuma resistência, mas jogou bem na maior parte do tempo. Fechou o terceiro período em 58-46 e foi pros dez minutos finais com grande vantagem e tranquilidade.

Nos dez minutos finais a Venezuela deu um pouco de dificuldade ao Brasil. Reduziu a diferença para oito, mas não foi muito além. O Brasil voltou a jogar bem, inibiu as ações ofensivas dos rivais e fechou o jogo com seguros 72-60.

De longe fica difícil dizer, mas o público poderia ter sido melhor. Entendo que o gigantismo da Arena Carioca dificulte e até incomode a quem veja a imagem (de estádio vazio) de casa e que de fato as cerca de 2 mil pessoas em uma segunda-feira à noite no Rio de Janeiro não seja o fim do mundo, mas o fato é que a CBB terá que trabalhar muito para conseguir encher ginásios no país em partidas da seleção brasileira (sobretudo as sem os atletas de Europa e NBA). É reflexo de anos de desmandos da Confederação, de uma falta de conexão incrível entre público e equipe nacional e uma ausência de marketing/ comunicação por conta das antigas gestões da entidade máxima que Guy Peixoto e sua equipe tentarão reverter.

Por fim, vale dizer que se é verdade que acho precipitado fazer qualquer tipo de análise em cima de um trabalho, como é o de Petrovic, de apenas 10 dias, com cinco treinos e dois jogos no meio, também dá pra falar que o Brasil fez o que deveria fazer (venceu as duas primeiras partidas), mostrou evolução entre elas e agora espera os jogos de fevereiro (ambos em casa) para encaminhar bem a sua classificação pro Mundial de 2019 na China.

Viu o jogo? O que achou? Gostou?

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Topo