PUBLICIDADE
Topo

Bala na Cesta

Brasil vence a Espanha, e enfrenta a Argentina nas quartas-de-final da Olimpíada

Fábio Balassiano

06/08/2012 18h42

Nesta altura do campeonato você, leitor atento, já sabe que o Brasil fez 88-82 para vencer a Espanha na última rodada do Grupo B das Olimpíadas de Londres. Fez 31-16 no último período, ganhou do atual vice-campeão olímpico e agora enfrenta a Argentina, que perdeu dos Estados Unidos há alguns segundos por 126-97. O horário ainda está indefinido, mas o duelo está marcado para a quarta-feira. Alguns pontos importantes:

a) Não vou entrar no mérito aqui se a Espanha entregou o jogo ou não (deixa os caras discutirem isso lá), mas sinceramente acho que o time de Rubén Magnano merece aplausos. Jogou como deveria e conseguiu o resultado. Não correu riscos (poupou Nenê, rodou o elenco, deu 22 minutos de quadra a Huertas etc.) como mandava o figurino para uma partida que não decidia muita coisa, mas não deixou de pensar na vitória em momento algum. Insisto: aconteça o que acontecer na quarta-feira, o Brasil fez o que tinha que fazer. Jogou com cautela, se esforçou na medida do possível e acabou ganhando. Simples. E ponto final.

b) Respeito quem não considera um absurdo perder propositalmente um jogo, mas vocês sabem que eu não concordo com isso. Não acho ilegal, mas talvez imoral. Tampouco (de novo) vou entrar no mérito se isso passou pela cabeça da Espanha. De todo modo, há uma coisa que precisa ser dita: quem pensa na final olímpica antes das quartas-de-final pode nem chegar na decisão do ouro. Se os espanhóis estão pensando que será fácil conter Tony Parker e Nicolas Batum, eu acho bom eles abrirem o olho.

c) Mais uma vez: palmas para Magnano e seus atletas. Jogaram o jogo, respeitaram o jogo e estão entre os oito melhores do mundo (como se previra). Enfrentarão, provavelmente, os argentinos em um jogo duríssimo, e o resultado é absolutamente imprevisível, mas merecem aplausos pela atitude em quadra (insisto neste ponto). O Brasil ficou 16 anos fora das Olimpíadas, e não faria sentido algum arranhar ainda mais a imagem do basquete com uma atitude esportivamente duvidosa.

d) Alguma dúvida que o jogo de quarta-feira será o mais tenso do ano (ou dos últimos anos) do basquete brasileiro? Se ganhar, não é só uma busca pela medalha que acontece, mas também pode ser o grande recomeço de um esporte que estava morto. Já estou ansioso, confesso.

e) Em termos técnicos, eu só espero que o Brasil não se iluda com dois fatores importantes. Hoje o time chutou 47,1% dos três pontos (8/17) e errou nove vezes apenas. Foi um jogo, como disse acima, pé no freio (sem problemas), sem tanta marcação, mas na fase eliminatória de quarta-feira não será assim. Que o time esteja preparado para um grande e difícil jogo. Não será como hoje.

Viu o jogo? Gostou? O que espera para as quartas-de-final? Comente!

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.