PUBLICIDADE
Topo

Bala na Cesta

Brasil vacila, perde da França na estreia e vê situação se complicar nas Olimpíadas

Fábio Balassiano

28/07/2012 17h45

Foi um jogo equilibrado como se previa, mas no período final o Brasil sofreu uma pane mental-técnica-tática (21-9), parou, perdeu da França por 73-58 e viu a sua situação no Grupo B se complicar demais na competição.

Cestinha com 17 pontos, Érika foi muitíssimo bem principalmente no primeiro tempo (13 pontos), mas, com exceção de Karla (13 pontos), foi pouquíssimo auxiliada no ataque e errou demais na segunda etapa (seis erros!).

Ao contrário de Pequim-2008, não houve o famoso nervosismo da estreia. Nos minutos iniciais, o Brasil foi bem, chegou a abrir vantagem, mas fechou o primeiro quarto com 20-16 apenas. No segundo período, Érika precisou descansar, Tarallo esqueceu que não poderia deixar a pivô e Adrianinha ao mesmo tempo juntas no banco (que mancada, hein) e as europeias viraram a partida com uma parcial de 7-1. As duas mais experientes voltaram, a partida voltou a ficar equilibrada até o intervalo (34-34).

Mas, e isso eu também já havia notado nos amistosos, o Brasil voltou terrível do intervalo (mérito do técnico adversário, e uma falha anunciada na visão, ou na falta dela, de Luiz Claudio Tarallo). Não percebeu que Dumerc (23 pontos e cinco assistências) seguia comandando as ações, que as pivôs estavam somente preocupadas com Érika (no ataque, foram pouco acionadas), que as coadjuvantes ganhavam confiança a medida que seus arremessos caíram (Laborde saiu do banco para anotar sete rápidos pontos) e que o jogo de meia-quadra só fazia sentido para as europeias.

Com isso, a velocidade das brasileiras foi contida, as francesas jogaram completamente soltas e a vitória das europeias veio sem muito susto com um quarto período tenebroso do time de Tarallo, que não percebeu que o jogo de Dumerc estava fluindo sem a menor marcação por perto e que suas meninas perderam completamente a vibração e a intensidade.

O Brasil volta a jogar na segunda-feira contra a Rússia (12h45), e a situação agora é absurdamente preocupante. Depois das russas, é a vez das favoritas australianas. Depois, Canadá, que hoje quase venceu a Rússia, e Grã-Bretanha. Passar em terceiro para evitar os Estados Unidos passa a ser quase impossível. Passar de fase, difícil pelo basquete apresentado neste sábado.

Viu o jogo? Está decepcionado?

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.