Bala na Cesta

Sobre a polêmica vazia entre Kobe Bryant e o Dream Team de 1992

Fábio Balassiano

13/07/2012 12h20

Foi impossível não acompanhar – mesmo não querendo. Kobe Bryant disse que o time atual dos EUA ganharia do Dream Team de 1992 na terça-feira em uma entrevista. Ouviu uma boa de Charles Barkley (que apenas ele, Kobe, LeBron e Durant teriam LUGAR naquele timaço de 20 anos atrás) e uma melhor de Michael Jordan ontem (“eles são mais fortes, mas nós éramos mais inteligentes”) e a polêmica vazia se instalou.

Vocês não lerão aqui, podem ter certeza, nenhuma linha sobre qual dos dois times era melhor. Acho isso uma sandice, uma comparação boba demais. Não se comparam equipes de épocas diferentes, e muito menos em situações diferentes. Longe de mim querer ensinar alguma coisa a Kobe Bryant, um gênio das quadras, mas aquele time de 20 anos atrás foi um símbolo, um símbolo da abertura que a NBA começou a dar para os estrangeiros que hoje lotam os times da liga mais poderosa do mundo.

Fez parte, portanto, do plano de internacionalização de David Stern para mostrar quão bom era seu produto (e era bom pacas mesmo, todos sabemos), foi a primeira vez que profissionais da NBA atuaram em Olimpíadas e reuniu alguns dos caras que ajudaram a mudar a reputação de uma liga que era terrivelmente vista pela sociedade norte-americana para uma amada e venerada na década de 80 por causa de Magic Johnson, Larry Bird, Michael Jordan, Ewing etc. .

Crítica e torcedores não chamam o Dream Team “apenas” pelos craques que lá estavam (e nisso Michael Jordan foi também certeiro, pois Kobe disse que alguns estavam lá em declínio – embora o maior de todos, Jordan, tivesse 29 anos, Pippen outros 26, e Barkley e Ewing menos de 30), mas principalmente pelo que eles representaram para o país, para suas franquias (TODOS aqueles que estavam lá foram referência de seus times durante uma década pelo menos) e para a NBA.

Kobe Bryant é produto do Dream Team, jogaria lá até (isso sem dúvida), mas não foi muito inteligente quando fez uma comparação tão sem propósito quanto esta (alguém realmente quer saber a resposta disso?). Se ele queria motivar o time de 2012 eu não sei, mas ele pode ter conseguido (embora ninguém precise de “motivação” para jogar uma Olimpíada). Agora, que ele passou a ser muito menos querido do que já é, disso eu tenho certeza.

Tão hábil com a bola nas mãos, Kobe deu um air-ball de primeira nessa.

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Bala na Cesta
Topo