Bala na Cesta

Definidas as quartas-de-final do NBB – confira os duelos!
Comentários 2

Fábio Balassiano

lucas1Terminou ontem a fase de oitavas-de-final do NBB. No Pedrocão, Franca lutou até os últimos minutos do jogo 5 contra o Palmeiras para se tornar o único time de melhor campanha a avançar às quartas-de-final. E conseguiu, chegando a fase dos 8 melhores em todas as edições da liga.

Franca suou, sofreu, oscilou, mas venceu os verdes por 73-64 com uma atuação excepcional de Lucas Mariano (foto à esquerda), autor de 23 pontos (3/3 de fora), 12 rebotes e 2 assistências nos 40 minutos em que esteve em quadra (não descansou, portanto). No final do jogo, cenas bem tristes de briga envolvendo torcedores das duas equipes (de longe, no site da Liga Nacional que exibia a partida, foi possível ver a imensa correria nas galerias de cima do Pedrocão).

leo1Com isso as quartas-de-final do NBB (em melhor de cinco, no formato 2-2-1), com três times que não tinham mando de quadra nas oitavas-de-final (mais aqui), ficaram assim definidas (times em negrito têm o mando de quadra):

Bauru (1) x Franca; Limeira (2) x Brasília; Flamengo (3) x São José e Mogi (4) x Macaé.

Os duelos começam na quarta-feira com Limeira x Brasília (na Web às 20h), dia em que farei as análises e palpites de todos os duelos. Enquanto isso, palpite aí. Quem chega às semifinais?


As primeiras duas dúvidas nestes playoffs da NBA – veja!
Comentários 1

Fábio Balassiano

rose1Após as quatro vitórias dos mandantes no domingo (Clippers, Grizzlies, Cavs e Hawks venceram – mais aqui) nesta segunda-feira o playoff da NBA continua, e teremos em quadra duas peças centrais para este mata-mata e para o futuro da NBA.

Às 21h, em Chicago, o Bulls abre novamente seu ginásio para medir forças com o Bucks. Depois da vitória no jogo 1, os comandados de Tom Thibodeau sabem que abrir a guarda para uma vitória do perigoso rival não é recomendável. Para isso, ter Derrick Rose (23 pontos na primeira partida – na foto à direita) jogando muito bem e evoluindo é fundamental. Com ele, os Bulls sabem que têm tudo para bater a equipe de Jason Kidd, mas não só isso. Será que o Chicago tem cacife para, em uma eventual semifinal do Leste, derrotar o Cleveland, de LeBron James?

davis2Logo depois, às 23h30, o Golden State Warriors, que jogou muito bem por três períodos no sábado antes de fechar o duelo com dificuldade nos 12 minutos finais, deve conseguir abrir 2-0 contra o Pelicans. O que ninguém dúvida também é: Anthony Davis (foto à esquerda) não é deste planeta. Em seu primeiro jogo de playoff, o camisa 23 do New Orleans fez 35 pontos (20 no último período) e assombrou o mundo. Como será o futuro do ala-pivô de 22 anos e cujo potencial físico é assustador? Será que o futuro dele será na franquia de Nova Orleans? Ou o monocelha ficará “maior'' que a equipe, precisando mudar de ambiente?

Veja tudo isso e muito mais no vídeo!


Os 4 jogos iniciais do playoff e os 4 deste domingo – veja!
Comentários Comente

Fábio Balassiano

O playoff da NBA começou neste sábado com vitórias de Washington (em Toronto), Chicago (contra o Bucks), Warriors (Pelicans) e Rockets (contra o Dallas). Neste domingo, o começo das outras quatro séries (Cavs x Celtics, Hawks x Nets, Grizzlies x Blazers e Clippers x Spurs). Falo disso tudo no vídeo! Vamos lá, clique aí!

Tags : NBA


Podcast BNC: Tudo sobre o mata-mata da NBA
Comentários 1

Fábio Balassiano

Não poderíamos ficar sem o Podcast, né? E essa vez recebendo o Denis Botana, do excelente BolaPresa, para conversar comigo e Pedro Rodrigues sobre todas as séries de mata-mata. Análises, palpites, detalhes pra lá de interessantes. Apesar das falhas de áudio (erro nosso), dá pra você, ouvinte atento, captar todas as mensagens.

Se preferir, o link direto está aqui. Caso queira, o episódio também está disponível no iTunes! Críticas, sugestões ou qualquer tipo de mensagem é só enviar para podcastbalanacesta@gmail.com . Obrigado, aproveitem e bom programa!

Tags : NBA Podcast


Em jogo fraco, América-PE abre final da LBF com vitória contra Americana
Comentários 1

Fábio Balassiano

tifEram as duas melhores equipes do basquete feminino brasileiro. Era a base da seleção brasileira adulta potencializada com algumas gringas bem boas (Tiffany Hayes, dos Estados Unidos, e Ariadna, de Cuba, por exemplo). Era um ginásio lotado. E mesmo com tudo isso a primeira partida da decisão da LBF foi fraquíssima (para ser educado).

O América até que venceu o Americana por 74-67, abrindo 1-0 na série e ficando a um novo triunfo de conquistar o título, mas quem viu a peleja pela televisão ou do ginásio do SESC em Recife ficou triste, bem triste.

tif2Foram, ao todo, incríveis 33 desperdícios de bola (quase um por minuto e um por três posses de bola, um absurdo só!), pouquíssimas assistências (17 em 51 arremessos convertidos, baixíssimo índice que prova que a bola rodou pouco) e baixo aproveitamento nos arremessos (menos de 40% nos arremessos de dois pontos). O segundo tempo até que foi melhor (44-38 pro América), mas no final das contas o nível técnico apresentado ficou muito abaixo da crítica (bem abaixo mesmo!). A única que realmente se salvou foi a excelente norte-americana Tiffany Hayes (ela nas duas primeiras fotos do texto), ala do América que contribuiu com 20 pontos (alguns em momentos fundamentais).

TrovoadaO Basquete Feminino deveria pegar o jogo deste sábado e fazer um simpósio a partir dos momentos do que se viu nesta manhã em Recife. Decisões equivocadas, leitura de jogo deficiente, defesas ruins, fundamentos mal lapidados, erros básicos (passes, dribles etc.), correria desmedida e pouca utilização das pivôs. Conteúdo não faltaria, garanto a vocês. E escrevo isso com muita dor no coração. Sou um dos poucos que ainda acompanha a modalidade por aqui, o faço porque realmente gosto (e não por “obrigação'' jornalística) e torço muito para que as coisas melhorem muito por aqui. Mas não dá pra dourar a pílula de algo tão óbvio. O nível técnico apresentado hoje de um modo particular e no campeonato de forma mais ampla está muito ruim!

americaO jogo 2 será no próximo sábado em Americana (10h). Nova vitória garante o segundo título em três anos para o núcleo que está no América-PE (antes no Sport-PE). Para a equipe do técnico Antonio Carlos Vendramini, que viu a sua série invicta de oito jogos de playoff ruir, só uma vitória interessa para manter a chama do bicampeonato acesa.

Viu o jogo? Gostou? Comente aí!


Começam os playoffs da NBA – o primeiro vídeo!
Comentários Comente

Fábio Balassiano

A promessa foi feita. De agora até o final do playoff da NBA, um vídeo do blogueiro por dia. Hoje começa o mata-mata. Hoje inciam os vídeos portanto. São quarto jogos. Vamos às análises dos duelos deste sábado.

Tags : NBA


Macaé elimina Minas, e NBB vê 3 ‘surpresas’ nas 4as de final
Comentários 2

Fábio Balassiano

jamaal2Coloquem uma placa para esse rapaz da foto à direita na cidade! O motivo é simples: Macaé acaba de eliminar o Minas ao fazer 92-86 no quarto jogo para ganhar a série por 3-1 com surreais 30 pontos (6/7 de 3), 4 rebotes e 2 de assistências do armador norte-americano Jamaal (a média dele no confronto foi de incríveis 22,8 pontos e 23 de eficiência). Com o resultado, os macaenses pegarão Mogi, quarto melhor colocado na fase de classificação, nas quartas-de-final.

O Minas não tem com o que ficar triste. Fez EXCELENTE campanha na primeira fase, perdeu o experiente arremessador Collum por lesão para os playoffs e “pagou'' pela juventude de seu elenco. A se lamentar, apenas, que o técnico Demétrius siga sem vencer uma série de playoff (por Limeira, 4 vezes, e agora pelo clube mineiro). Nada que tire o mérito da ótima primeira fase da equipe e dos bons desempenhos das revelações Henrique Coelho, Danilo, Léo Demétrio, entre outros.

jamaal3Este NBB, aliás, vê algo bem interessante em sua fase final. Os 3 times que avançaram às quartas-de-final tiveram campanha pior que as equipes que derrotaram (São José, que eliminou o Paulistano, e Brasília, que superou o Pinheiros, são os outros dois casos). Todos os que agora estão entre os 8 melhores, aliás, tiveram campanha abaixo dos 50% na temporada regular, mas cresceram muito no mata-mata (São José e Brasília tiveram 12-18, e Macaé obteve 9-21) e terminarão entre os oito melhores do país.

A única série ainda aberta é a entre Franca x Palmeiras. Depois de abrir 2-0, a equipe francana viu o time verde reagir ao empatar a série em 2-2. O quinto jogo será no domingo, às 11h, no Pedrocão (com Sportv exibindo). Caso o Palmeiras vença, o NBB verá, pela primeira vez em sua história, os quatro times de pior campanha se dando bem cima dos que tinham mando de quadra em uma fase inteira de playoff.

Surpresas acontecendo no mata-mata do principal campeonato do país. É bom ficar de olho nas próximas etapas. O Flamengo enfrentará São José. Limeira mede forças com Brasília. Mogi terá o Macaé. E Bauru aguarda o vencedor de Franca e Palmeiras.


Palpitão para os playoffs da NBA – as séries do Oeste
Comentários 10

Fábio Balassiano

nba3

Chegou a ver do Oeste, né? Os playoffs começam amanhã, analisamos o Leste ontem e chegou a hora de falarmos da conferência mais forte da NBA. Vamos lá:

curry1Golden State Warriors x New Orleans Pelicans: Adoraria dizer que o fenomenal Anthony Davis vai complicar a vida do Golden State, que o técnico Monty Williams tem tudo para trazer dificuldade a Steve Kerr e que Tyreke Evans tem ótimo potencial físico e técnico para deter e também brilhar no ataque contra Stephen Curry. Isso seria o sublime da (já linda) história do New Orleans nesta temporada em que volta a pós-temporada. Mas eu sinceramente não creio que o Warriors, descansados e voando em todo campeonato (67 vitórias, gente, isso é um número absurdo!), vão ser eliminados pelo Pelicans. Não vai ser tão fácil assim (uma varrida), mas eu não vejo essa série indo longe, não. Chamo a atenção para o duelo entre Davis e seu potencial físico de albatroz contra Draymond Green, ala-pivô do Golden State cotado para ser um dos melhores defensores do campeonato. Vamos ver como o monocelha se sai na primeira pós-temporada de sua sensacional carreira.
Meu palpite: Warriors em cinco

Participe do Bolão Bala na Cesta dos playoffs da NBA. Clique aqui e mande seus palpites (o Nome do Grupo, caso necessário, é Bolão Bala na Cesta)!

harden1Houston Rockets x Dallas Mavericks: É o confronto entre Chandler Parsons (agora no Dallas) contra a sua ex-equipe, é a chance de James Harden seguir provando que pode, sim, levar a sua franquia a voos bem altos e, talvez, a última chance de Dirk Nowitzki conquistar mais um título da NBA (embora, com os últimos passos do Dallas, isso seja pra lá de difícil de imaginar). Os Rockets chegam em melhor momento, mas é um duelo regional e o Dallas tem ótimas peças para anular as principais armas do Houston (colocar Rajon Rondo em cima de Harden pode ser uma opção pra lá de interessante) e um técnico (Rick Carlisle) que sabe como poucos fazer ajustes e contra-ajustes tão fundamentais em playoffs. Ao contrário da série do Warriors, não há como pensar aqui que essa série termine rápido. O mando de quadra pode fazer a diferença a favor do Houston no final das contas.
Meu palpite: Rockets em sete

cp3Los Angeles Clippers x San Antonio Spurs: Está aí a melhor série de playoff da primeira rodada toda. Ninguém imaginava que os dois times mais quentes da NBA nos últimos dois meses fossem medir forças logo no começo do mata-mata. Mas o Spurs escorregou em Nova Orleans, o Houston roubou o título de divisão, ganhou do Clippers no critério de desempate e ficou tudo embolado para este incrível Clippers x Spurs logo de cara. Dois excelentes armadores (Chris Paul e Tony Parker), excelentes alas (Blake Griffin e Tim Duncan), dois ótimos técnicos (Doc Rivers e Gregg Popovich) e a chance de o vencedor sair com muita moral para os próximos embates.

leonard1Ficam algumas dúvidas:
a) Popovich usará desde o começo o expediente de fazer faltas loucamente em DeAndre Jordan, levando o pivô e seu péssimo aproveitamento ao lance-livre?
b) Como será o desempenho de Kawhi Leonard, excepcional ala do Spurs que tem feito a diferença nos últimos jogos? O que Doc Rivers fará para detê-lo? Apenas Matt Barnes (ambos na foto à esquerda) em cima de Leonard não me parece uma boa opção.
c) Chris Paul é conhecido por gostar muito do jogo em velocidade. Pop, sempre que enfrentou Steve Nash em playoff, fez questão de travar o jogo ao extremo. A forma de CP3 nesta temporada, porém, é exuberante e ele ganhou “golpes'' importantes também jogando de forma mais cadenciada e acionando Blake Griffin não apenas no contra-ataque. Como pará-lo?
d) Como estará Tiago Splitter em termos físicos? O brasileiro não jogou nas últimas rodadas, o Spurs sustenta que ele foi apenas poupado, mas do outro lado estarão os pesados DeAndre Jordan e Glen Davis. É fundamental para os texanos que o pivô esteja em boa forma.
Meu palpite: Spurs em seis

conley1Memphis Grizzlies x Portland Trail Blazers: O duelo da enfermaria. Acho que nunca antes na história da NBA dois times que duelam na mesma série chegam com tantos problemas físicos (é exagero, mas o fato é que fisicamente os dois elencos chegam muito desgastados). O Memphis, que terá o mando de quadra, está com quase todo mundo quebrado, e o mesmo acontece em Portland (Wes Matthes já está fora da temporada há tempos). No final das contas, creio que esta série será mesmo decidida pelas estrelas dos dois elencos (Marc Gasol, Mike Conley e Zach Randolph pelos Grizzlies e Damian Lillard e LaMarcus Aldridge pelos Blazers), com vantagem para os Grizzlies no fator quadra e no bom momento técnico de Marc Gasol e Mike Conley.
Meu palpite: Grizzlies em sete

E você, o que acha que irá acontecer? Comente aí!


O começo da final da LBF – quem fica com o título, Americana ou América-PE?
Comentários 2

Fábio Balassiano

tecnicos1Começa amanhã às 10h (com Sportv) a final da Liga de Basquete Feminino (a terceira repetida entre os mesmos times). Em Recife, o América-PE abre o seu ginásio para receber Americana no primeiro duelo da decisão (em melhor de três partidas – a segunda e, se necessário, a terceira no interior de São Paulo).

Estou curioso para ver que tipo de ajustes serão feitos pelos técnicos Antonio Carlos Vendramini e Roberto Dornelas (ambos na foto à direita). Donos de estilos bem diferentes, e com elencos com muitas opções, eles tiveram tempo para trabalhar com Americana e América-PE por uma semana e precisarão mostrar algo diferente a partir de amanhã.

erika1Só que por melhor que sejam os treinadores (e eles são bons mesmo), creio que o ponto chave que decide a LBF neste ano, ao menos no meu modo de ver as coisas, está nos garrafões. E que garrafões! As quatro pivôs da seleção brasileira estarão lá (a dúvida é saber se o técnico Zanon, classificado com São José às quartas-de-final do NBB, terá tempo para vê-las…). De um lado, Érika (ela na foto à esquerda) e Nádia pelo América-PE. Do outro, Clarissa e Damiris (ambas na foto abaixo à direita) por Americana. Só “peso-pesado'' da posição. Vamos ver como Damiris, a menos experiente das quatro, se sai. O modo como ela encarará a decisão pode ser decisivo para os próximos passos de sua carreira.

clarissa1Além disso, temos Tiffany Hayes (ala norte-americana com ótimo arremesso) e Adrianinha pelas pernambucanas e Ariadna e Karla por Americana. Os duelos prometem, sem dúvida alguma. E só lembrando: Vendramini, desde que regressou ao basquete feminino na temporada passada, não perdeu sequer um jogo de pós-temporada (8 vitórias).

Quem fica com o título da LBF nesta temporada? Creio que o América leve ligeira vantagem. E você? Comente!


Palpitão para os playoffs da NBA – as séries do Leste
Comentários 11

Fábio Balassiano

nba3

Chegamos aos playoffs. Ficaram 16 equipes, que têm a missão de ir o mais longe possível (aqui a chave toda). E com o mata-mata aquele momento de analisar e palpitar nas oito séries que dão início ao mata-mata da temporada 2014/2015 da NBA. Vamos começar pelo Leste? Amanhã faço do Oeste!

Atlanta Hawks v Orlando MagicAtlanta Hawks x Brooklyn Nets: Não é fácil entender o que se passa no Brooklyn. O elenco está longe de ser ruim, o técnico (Lionel Hollins) é experiente e razoável (pra cima) e o time está na conferência Leste. Mesmo assim jamais engrenou (e talvez a recente explicação de Paul Pierce, jogador da equipe ano passado, faça total sentido – veja mais aqui e aqui). Seja como for, o Nets chega ao playoff na bacia das almas, beneficiado pela derrota do Indiana Pacers em Memphis e tendo que enfrentar não só o melhor, mas principalmente a mais organizada das franquias do Leste na primeira rodada da pós-temporada. Joe Johnson é bom, Brook Lopez faz bons números, Deron Williams sabe se virar (quando o físico lhe ajuda, claro), mas eu não consigo ver uma maneira de o Brooklyn ir longe. Os Hawks estão muito bem, conseguiram segurar os minutos dos principais atletas neste último mês e dominaram a conferência com folga do começo ao fim sem tantos sustos assim. Não creio que seja agora que eles serão desafiados e/ou levados ao limite.
Meu palpite: Hawks em cinco

lebron1Cleveland Cavs x Boston Celtics: São os dois times de melhor campanha no Leste depois do All-Star Game, e cada um a seu modo tem jogado um ótimo basquete. O Boston, do excelente Brad Stevens, cresceu muito na defesa, melhorou seu ataque com Isaiah Thomas (controlado, com jogadas bem desenhadas e sem forçar o jogo ele tem rendido muito bem), mas não creio que, em seu atual estágio (em formação), seja desde já páreo para LeBron James, Kyrie Irving e Kevin Love. Falei deles essa semana inclusive, lembra? Os Cavs evoluíram absurdamente na marcação, David Blatt parece mais confortável no ambiente NBA e o ataque tem a armação de LeBron (como há muito tempo eu achava ser a melhor opção mesmo). Com isso, a bola fica menos na mão de Irving (que quase sempre procura situações boas para seu chute), o sistema ofensivo flui mais, há mais passes e consequentemente arremessos livres.
Meu palpite: Cavs em cinco

thibs1Chicago Bulls x Milwaukee Bucks: O ótimo desempenho do Bucks chama a atenção (leia mais aqui), mas playoff é outra coisa e sabemos bem. É óbvio que o trio formado por Khris Middleton, Michael Carter-Williams e o grego sensação Giannis Antetokounmpo chama a atenção, tem jogado muito bem, e que o turco Ersan Ilyasova voltou a mostrar a evolução que se esperava dele. Mas do outro lado estará o Chicago Bulls. Chicago que é um poço de irregularidade, um time difícil de decifrar. Alterna partidas excepcionais contra grandes times com jogos abaixo da crítica contra equipes ruins (isso quando não oscila dentro da própria partida). Jason Kidd, técnico do Milwaukee, tem experiência de sobra, passará isso a seus atletas e a franquia de Wisconsin jogará como franco-atiradora. Uma combinação que pode ser muito perigosa caso o Chicago não dê as cartas desde o começo. No final das contas, a experiência dos Bulls deve pesar, mas não creio que será tão fácil como já li/vi muita gente escrevendo/falando.
Meu palpite: Bulls em seis

toronto1Toronto Raptors x Washington Wizards: Eis um confronto interessante. Não tanto pelo lado técnico da coisa, mas sim porque foram dois times que caíram muito de rendimento depois do All-Star Game. O Washington, apontado por muita gente como uma força emergente do Leste e dono de um dos quintetos titulares mais interessantes da NBA, tem jogado (com o perdão da palavra) um basquete muito ruim (quase preguiçoso) de um mês pra cá. Vejo John Wall correndo enlouquecidamente, Nenê tentando fazer bloqueios e passes, mas pouco além disso. Paul Pierce normalmente ressurge em mata-mata, mas Bradley Beal, em um campeonato repleto de lesões, não está em boa fase e o polônes Marcin Gortat parece sempre um passo atrasado. Do outro lado estará o Toronto, que busca concretizar o seu ressurgimento avançando para a segunda rodada do playoff pela primeira vez desde 2001. A eliminação no jogo 7 contra o Brooklyn em 2014 pode, ainda, pesar muito psicologicamente, mas o problema é muito mais técnico do que de outra ordem. Kyle Lowry e DeMar DeRozan são ótimos, vão jogar muito bem, mas os outros três titulares não têm feito tanta diferença assim (e incluo aí Jonas Valanciunas, pivô lituano que tinha tudo para dar um salto de qualidade mas cujos números são praticamente iguais aos da temporada passada). No final das contas creio que, apesar da experiência de Pierce e Nenê para o Wizards, o mando de quadra fará a diferença para os canadenses (mas não tenho convicção disso…).
Meu palpite: Toronto em sete

E você, quem acha que passa? Comente aí