Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

Brasil vence a Nova Zelândia na estreia no Mundial e já mira confronto contra Grécia

Fábio Balassiano

01/09/2019 05h02

Divulgação CBB

Não foi bonito, mas foi com vitória na estreia do Mundial da China na manhã deste domingo. Jogando em Nanjing, o Brasil sofreu no primeiro tempo (levou 10 bolas de três pontos), foi pro vestiário empatado em 50, mas na segunda etapa melhorou a defesa, teve uma providencial atuação de Alex Garcia no terceiro período (12 pontos em 10 minutos para o veterano de 39 anos, bateu a Nova Zelândia por 102-94 e abriu a sua caminhada na competição com triunfo.

Crédito: WANG ZHAO / AFP

Com 22 pontos, Leandrinho foi o cestinha da equipe do técnico croata Aleksandar Petrovic, que fez a sua primeira partida oficial comandando a equipe. Com 15 pontos, 6 assistências e 4 rebotes, Rafa Luz também foi muitíssimo bem neste domingo.

A seleção volta a quadra na terça-feira para o jogo-chave dessa primeira fase. Será contra a Grécia, do craque Giannis Antetokounmpo, que enfrenta Montenegro a partir das 09h30 deste domingo. Se vencer, encaminha bem a sua classificação para as quartas-de-final e também se aproxima da vaga olímpica (os dois melhores das Américas na competição carimbam o passaporte para Tóquio-2020).

O primeiro período foi muito equilibrado. Jogando bem no começo, sobretudo com Didi (6 pontos) e Rafa Luz (5), o Brasil saiu na frente, tinha boa conversão de três pontos, mas aos poucos permitiu, com uma defesa não muito rápida na transição de volta do ataque, que a Nova Zelândia reagisse e entrasse no jogo. Os adversários chegaram a passar à frente do placar em 20-18, mas uma cesta + lance-livre de Yago Mateus deram números finais aos dez minutos iniciais com 21-20 para a seleção do técnico Aleksandar Petrovic.

No segundo período, alguns dos problemas do primeiro permaneceram – sobretudo na defesa. Os neozelandeses tinham muita liberdade pra arremessos de três, principalmente após os bloqueios diretos feitos pelos pivôs, e iam convertendo muitas bolas do perímetro para comandar o placar, chegando a liderar por até cinco pontos. A diferença chegou a cinco pontos, preocupando um pouco. Com Leandrinho e a volta de Bruno Caboclo o Brasil reagiu, se aproximou do placar, mas o ala Corey Webster, com 5 bolas longas e 17 pontos, fazia uma partida incrível. No intervalo, igualdade em 50 após cesta + lance-livre de Rafael Luz, que pegou rebote ofensivo após erro de arremesso de Leandrinho.

Crédito: WANG ZHAO / AFP

Na volta do vestiário, um nome chamou a atenção: Alex Garcia. Veterano da seleção, o ala de 39 anos não atuou no primeiro tempo porque ainda se recupera de uma lesão na coxa, mas foi chamado pelo técnico Petrovic para marcar Webster – e também faz das suas no ataque. Alex teve incríveis 12 pontos em 10 minutos (além de quatro rebotes), fez o ala da Nova Zelândia ZERAR em pontos no período, comandou uma defesa que precisava melhorar, ajudou a seleção a abrir 28-12 na parcial para ir ao último período com a confortável vantagem de 78-62. Naquela altura, Leandrinho, Marquinhos e Rafa Luz com 12, 10 e 13 pontos, respectivamente, também jogavam muito bem.

Crédito: WANG ZHAO / AFP

Nos dez minutos finais, a Nova Zelândia esboçou uma reação, mas a condução de jogo segura e certeira de Rafa Luz impediu que os rivais se aproximassem do placar. O Brasil se manteve sempre com 12/15 pontos de frente, impediu as bolas de fora do adversário (0/7 no segundo tempo até os três minutos finais do duelo graças a uma soberba marcação brasileira na etapa final) e fechou, com razoável dose de drama nos segundos finais após vacilos sem necessidade alguma, a partida em 102-94 para estrear com vitória no Mundial da China.

Reprodução Instagram

Viu o jogo? Gostou da atuação brasileira? Comente você também!

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.