Topo
Bala na Cesta

Bala na Cesta

Por que Klay Thompson preferiu ficar no Golden State Warriors?

Fábio Balassiano

02/07/2019 05h44

EZRA SHAW / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

Um dos nomes mais cortejados no mercado de jogadores da NBA, Klay Thompson optou por renovar com o Golden State Warriors nesta segunda-feira. Por US$ 190 milhões, o ala-armador permanecerá na franquia de Oakland pelas próximas cinco temporadas. A notícia foi festejada pelos torcedores do Warriors e gerou tristeza nos times que ainda pensavam em contratá-lo. Mas, pensando friamente, o que levou Klay, de 29 anos e 9 campeonatos disputados pela equipe californiana, a permanecer por lá? Vamos lá:

Kevin Durant -> Por incrível que pareça, o agora ex-ala do Warriors teve papel fundamental na permanência de Klay Thompson no Golden State. Tendo avisado a franquia que se mudaria para o Nets pelos próximos anos, Bob Myers, o gerente-geral, e seu estafe se apressaram para não perder a segunda estrela da companhia em menos de 24 horas. Caso Durant tivesse ficado, muito provavelmente os Warriors não teriam oferecido o contrato máximo a Klay.

Assine o Bala na Cesta e tenha vantagens exclusivas

Com o camisa 35 no Brooklyn, não restou outra alternativa para o GSW que não oferecer tudo o que tinha disponível na carteira. A ideia é manter o Warriors competitivo, forte, na briga por mais anéis, então não fazia o menor sentido ver Klay Thompson fora dali.

Tempo de contrato -> De acordo com as regras da NBA, apenas o Golden State poderia oferecer cinco anos de contrato para o camisa 11. As demais franquias, 4 anos e um valor anual um pouco menor em relação ao que os californianos poderiam oferecer. Pesou o fato de, beirando os 30 anos e com uma cirurgia no joelho sendo realizada ao final da última temporada, Thompson querer estabilidade, contrato longo e segurança. O Warriors topou tudo isso.

Idolatria -> Ao lado de Steph Curry o camisa 11 é idolatrado em Oakland. Ele criou a dinastia Warriors, junto com Curry, como a conhecemos, exerce funções defensivas fundamentais para o andamento do jogo do Golden State, tem uma ligação muito forte com a comunidade da Bay Area (por onde jogou pelos primeiros nove anos de sua vida profissional) e nos momentos mais críticos da franquia foi essencial para o time conseguir sair do buraco.

Ele não é venerado apenas por torcedores e atletas, mas sobretudo pelo dono Joe Lacob, que vira e mexe se refere a Klay Thompson como um dos cinco maiores atletas da franquia Warriors. Muita gente comenta que o primeiro jogo na nova arena, em São Francisco, sem Klay Thompson seria caótico para os proprietários da franquia.

Foto: AFP

Kawhi Leonard -> Sim, o atual MVP da NBA deu uma bela travada no mercado exatamente nos lugares onde Klay poderia receber propostas. Filho de Mychal Thompson, campeão pelo Lakers na década de 80, Klay poderia repetir os passos do pai e jogar no multicampeão angelino da NBA. Mas com a possibilidade de contratar Kawhi ainda em aberto (o campeão pelo Toronto ainda não se decidiu) o Lakers está "anestesiado" e sem tomar uma ação sequer. O mesmo pode-se dizer do Los Angeles Clippers, que até começou tratativas para contar com o ala. Mas sem a garantia de que teria companhia à altura de seu talento o estafe de Thompson decidiu nem dar andamento com os Clippers.

O frustrante New York Knicks -> Era outro candidato a contar com Klay, mas o New York não conseguiu absolutamente nada valioso nesta janela de transferências. Nenhum All-Star, em sã consciência, iria parar no Knicks sem ter um craque do lado. Comenta-se que Thompson gostava da ideia de se juntar a outra estrela e jogar no Madison Square Garden, mas como ninguém se animou a jogar para o alucinado dono James Dolan ele mesmo mandou avisar que não jogaria pelo Knicks.

O resultado final disso tudo é que o Warriors manteve a sua estrela e poderá contar com Klay Thompson por mais 5 anos.

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.