PUBLICIDADE
Topo

Bala na Cesta

Caos financeiro faz Federação Internacional colocar interventor na Confederação Brasileira

Fábio Balassiano

12/09/2016 12h10

nunes1Uma ação inédita vai sacudir as estruturas do basquete brasileiro no começo de outubro. Preocupada com os rumos da modalidade por aqui, a Federação Internacional de Basketball (FIBA) fará uma intervenção na Confederação Brasileira de Basketball (CBB), entidade que devia, até o final de 2015, mais de R$ 17 milhões e que também possui com déficits junto a FIBA. A informação foi confirmada ao blog nesta segunda-feira.

Asfixiada financeira e administrativamente, a CBB foi notificada no começo de setembro e não se opôs à ação, marcando inclusive uma Assembleia Extraordinária para o dia 26 de outubro para comunicar às Federações Estaduais das mudanças que ocorrerão. A entidade não atendeu às chamadas feitas até a publicação do texto.

saezCom isso, Carlos Nunes, presidente da CBB há oito anos, deixa de ser o ponto máximo de contato da Confederação para a FIBA, função esta que caberá ao espanhol Jose Luiz Saez, ex-presidente da Federação Espanhola (FEB) entre 2004 e 2016, membro do Comitê Executivo da FIBA e responsável por arrumar a casa em Federações como México, onde se formou uma Comissão de Trabalho com Ministério do Esporte, FIBA, Comitê Olímpico Mexicano e Federação local, e Cuba.

A presença de Saez no Brasil é aguardada para a primeira semana de outubro, quando ele começará a fazer imensa varredura nas contas e nos procedimentos da entidade. Serão marcadas reuniões dentro da própria Confederação Brasileira, no Ministério do Esporte e também no Comitê Olímpico Brasileiro.

A chegada do espanhol, em um primeiro momento, não tira o presidente Carlos Nunes do comando da CBB. Saez fará uma espécie de auditoria interna, coletando informações completas e concretas para a reunião do Comitê Executivo da Federação Internacional que acontecerá em novembro na Suíça. Lá serão tomadas ações concretas em relação à Confederação Brasileira de Basketball.

cbbO estopim para a Federação Internacional tomar esta decisão aconteceu quando a entidade máxima do basquete nacional informou, durante as Olimpíadas, que não poderia mais realizar a etapa do Mundial 3×3, prevista inicialmente para os dias 23 e 24 de setembro no Rio de Janeiro, causando assim enorme desconforto e prejuízo aos cofres da FIBA. Durante os Jogos Olímpicos, um jantar realizado entre Horacio Muratore, presidente da Federação Internacional, Jose Luiz Saez e Carlos Nunes informou a Nunes sobre o processo que culminará com a presença Saez na CBB.

nunes2Após tentar o diálogo inúmeras vezes a FIBA partiu para a ação, algo previsto em seu estatuto e assinado por todas as suas afiliadas. O blog também apurou que durante as Olimpíadas esteve longe de ser de extrema leveza o clima entre FIBA e CBB. A Confederação Brasileira ainda tentou um último suspiro, mostrando que buscaria maneiras de sair do buraco em que se encontra, mas os dirigentes da Federação Internacional não quiseram nem escutar. Um deles confidenciou ao blog que "em Nunes a confiança é menor que zero". A decisão estava já tomada.

nunes3Tampouco está descartada a antecipação da próxima eleição do primeiro trimestre de 2017 da CBB para o último trimestre deste ano. Não está certo, adicionalmente, como será feito o próximo pleito que contaria, conforme divulgado aqui em primeira mão, com Antonio Carlos Barbosa, ex-técnico da seleção feminina, e Amarildo Rosa, Presidente da Federação do Paraná, como candidatos. Pode ser, inclusive, que exista alguém indicado pela FIBA para a função.

cbb1Para quem acompanha este espaço, é impossível dizer que o acontecimento é uma surpresa. Ficando em poucos exemplos, vale dizer que a CBB acumula dívidas ano após ano, deixou de pagar o convite do Mundial de 2014, feito este que por pouco não deixa o Brasil fora da Olimpíada de 2016 (o país teria que disputar os Pré-Olímpicos) e quase não participou das Copa Américas Sub-18 de julho porque não tinha dinheiro para preparação e passagens (a saída foi ir sem treino com as meninas, usar o time do Pinheiros no masculino e a Liga Nacional bancar o transporte aéreo).

No momento o que dá pra afirmar é que a CBB está sofrendo uma intervenção por parte da Federação Internacional devido a sua imensa falta de competência ao longo dos últimos anos. Agora é aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.