PUBLICIDADE
Topo

Bala na Cesta

Por problemas de gestão, Federação do Paraná rompe com CBB e critica presidente Carlos Nunes

Fábio Balassiano

19/07/2013 10h40

Já não é novidade o problema grave financeiro que vive a Confederação Brasileira de Basketball. Quem acompanha este espaço (pode ser lido mais por aqui) sabe a quantas anda a parte administrativa da entidade máxima – em péssimo estado, diga-se de passagem.

Pois bem. No fim da noite de ontem chegou a mim um e-mail de Amarildo Rosa (foto à direita), Presidente da Federação do Paraná, (agora ex-)membro do Conselho Consultivo da entidade e um dos eleitores de Carlos Nunes na eleição deste ano contra Grego. No conteúdo da mensagem, que foi enviada aos presidentes de Federação (você lerá trechos abaixo), algo muito claro: Amarildo rompe completamente com Nunes, coloca a gestão da CBB contra a parece e questiona métodos e promessas de campanhas do agora reeleito presidente (conversei com Amarildo agora e ele confirma a saída e o conteúdo do e-mail). Vamos ao texto completo (colocarei um grifo nas partes mais importantes):

"Como membro ativo do Conselho Consultivo da Confederação Brasileira de Basketball – CBB, desde 2009, quando O Sr. Carlos Nunes assumiu a presidência, o qual ajudamos a eleger por acreditar em uma gestão participativa, venho através deste comunicado expressar o que segue.

Foram muitas as boas ações e conquistas realizadas neste período, dentre as quais posso citar justamente a criação deste Conselho, que nasceu com o propósito de auxiliar na gestão da Confederação Brasileira de Basketball, possibilitando à mesma uma forma democrática e moderna de administração.

Durante este período o CONSELHO CONSULTIVO, realizou uma série de cobranças ao Senhor Carlos Nunes, Presidente da Confederação Brasileira de Basketball, exercendo assim sua legitimidade, para com o objetivo que o mesmo foi criado. Nestas cobranças, realizadas de forma bem clara e transparente, solicitamos posicionamentos e decisões, que no entendimento do CONSELHO, seria de grande valia ao crescimento do basquetebol brasileiro. Infelizmente tais solicitações não nos foram atendidas e medidas não foram tomadas.

Neste ano de 2013, novamente tivemos eleições na Confederação Brasileira de Basketball, e buscando evitar um retrocesso ainda maior em nossa modalidade, com a possibilidade de eleição do antigo presidente Gerasmine Bozikis, o Grego, o qual a maioria de nós não acreditamos ser um nome plausível para assumir a Presidência da Confederação, novamente elegemos o Senhor Carlos Nunes. Novamente a confiança foi "depositada", porém com a condição de que haveriam as devidas mudança em sua gestão, para os próximos 4 anos que seguem.

Dentre as mudanças citadas, o Conselho cobrava um Choque de Gestão por parte do presidente, mais planejamento nas ações da CBB e principalmente na área financeira: a Forte solicitação de que fossem minimizados os gastos com as despesas advindas com a folha de pagamento, bem como com as despesas em geral, pois mesmo com o aumento das receitas nos últimos 04 anos, as despesas continuaram sendo maiores que a receita da Entidade, o que contribui para que a CBB adquirisse uma dívida que, todos sabemos, a cada dia se torna maior.

Na última reunião realizada pelo conselho, no dia 09 deste mês, repetidos questionamentos foram realizados por todos os membros do conselho, infelizmente, as respostas também foram repetidas insistentemente, de forma a tentar nos convencer de que a situação da CBB é normal e tranquila e que tudo esta dentro de uma normalidade. Nesta oportunidade usei da palavra e salientei dizendo que não acredito e que também não concordo com as afirmações que atestam a boa condição financeira , bem como a conduta administrativa a qual a CBB vem sendo submetida, ficando sem credibilidade às respostas que nos foram apresentadas nessas reuniões do Conselho, tendo em vista a situação financeira que se encontra a CBB. Por estes motivos tomei a decisão de não mais fazer parte do Conselho Consultivo da Confederação Brasileira de Basketball. Afirmo e gostaria de deixar bem claro que minha decisão aqui apresentada não é pessoal e tão pouco política, mas decidi por minha saída pelo fato de não concordar de maneira alguma com as atitudes administrativas insistentemente mantidas pelo senhor Carlos Nunes, presidente da CBB nesse inicio de mandato, demonstrando assim uma continuidade dos erros na forma de conduzir a CBB. Por entender também que o Conselho Consultivo na verdade não tem conseguido cumprir com seu real objetivo pelo qual foi criado, pois o mesmo não vem sendo ouvido nas decisões da administração, não havendo assim uma participação efetiva, o que, em minha opinião o torna totalmente desnecessário, já que para que cumpra com seu papel, existe a necessidade que o mesmo seja ouvido pelo presidente da instituição.

Desta forma a partir desta data, declaro que não faço mais parte do conselho e vou apenas continuar trabalhando pelo basquete do meu estado, dirigindo esta federação com o mesmo compromisso e motivação que a conduzi nos últimos 8 anos, onde me sinto apoiado pelos Clubes filiados e principalmente me sinto valorizado, representando aqueles que me elegeram e confiam no meu trabalho. Agradeço aos meus colegas presidentes do conselho e digo que continuarei dando minha parcela em prol do basquetebol brasileiro através do trabalho que realizamos no Paraná, somando forças com todos os demais presidentes das 27 Federações para não deixar falir a nossa modalidade no Brasil.

Abraços a todos…
Amarildo Rosa
Presidente da Federação Paranaense de Basketball

=======

Como se vê, o castelo de cartas construído com dinheiro público vai ruindo na CBB. Que lástima, hein…

Sobre o blog

Por aqui você verá a análise crítica sobre tudo o que acontece no basquete mundial (NBB, NBA, seleções, Euroliga e feminino), entrevistas, vídeos, bate-papo e muito mais.