Bala na Cesta

Arquivo : Super Copa Brasil

Com problemas financeiros, CBB faz times da Supercopa Brasil pagarem suas passagens
Comentários Comente

Fábio Balassiano

Como diz aquele famoso personagem, ‘é grave a crise’. Na única competição adulta ainda organizada por ela, a Confederação Brasileira de Basketball “inovou” na Supercopa Brasil que acontece na próxima semana em Macaé (Rio de Janeiro).

Os oito clubes que participarão da competição que classifica os dois primeiros para o triangular de acesso ao NBB6 (o Tijuca será o outro time) serão obrigados a pagar suas passagens para chegar ao interior do Rio de Janeiro. Se isso não fosse o bastante, nem os custos envolvidos com a competição saíram da CBB, mas sim da Prefeitura de Macaé – provavelmente dinheiro público, aliás. Uma tragédia, não? E o motivo é bem simples: a CBB está sem grana, absolutamente sem grana, como ela mesma aponta em sua nota oficial divulgada no site (veja mais no documento oficial aqui):

O planejamento das atividades de 2013 previa o suporte dos custos do torneio Super Copa através das  verbas do Contrato de Patrocínio Eletrobras. Apesar de todos os esforços de nossa parte, a Eletrobras ainda  não efetivou a renovação daquele contrato nem tampouco restituiu a verba retida do contrato anterior, o que  obrigou a busca de um sediante para a competição que arcasse com os custos envolvidos. O Município de  Macaé assumiu esse encargo e responsabilidade, à exceção das despesas com passagens aéreas, inclusive  as passagens para as equipes competidoras. Neste contexto a CBB, pelas razões descritas e que  evidenciam a sua total ausência de culpa por circunstâncias invencíveis e de difícil previsibilidade, precisa que as equipes assumam essa despesa para que a competição possa ser realizada.

Parece piada, mas não é. Nos próximos dias divulgarei aqui o balanço financeiro da entidade máxima referente ao ano de 2012. O resultado é absurdamente chocante, posso garantir pra vocês (já vi, revi, olhei, analisei e a situação é caótica). A CBB teve mais de R$ 25 milhões de receita no ano passado, conseguiu fechar no vermelho e ainda aumentou suas dívidas, que eram de 7,5 e passaram para R$ 8,8 milhões em 12 meses (com direito a juros e empréstimos bancários, além de outras atrocidades).

Esta é a entidade que “comanda” o basquete brasileiro, pessoal. O que eles estão fazendo com a modalidade é um escárnio, um absurdo e essa questão das passagens da Supercopa Brasil apenas evidencia isso. Tenho tentado evitar falar na CBB, porque é um assunto chato, sem chance de melhora e quase que uma briga solitária minha, mas dessa vez não deu pra me calar, não. Carlos Nunes é um péssimo gestor – seja em termos financeiros, técnicos, administrativos ou de marketing/comunicação. Seu primeiro mandato, que recebeu o aval de quase todos os presidentes de Federação na eleição de quase dois meses atrás, é bom dizer, é uma tragédia, um verdadeiro acinte. Ah, aqui vale o recado: alô, presidentes de federação, meus parabéns também, pois vocês corroboram com isso e são co-responsáveis pelo atraso da modalidade!

Como quem fiscaliza (o Ministério dos Esportes) nada faz e por incrível que pareça ainda injeta mais e mais dinheiro público em uma entidade que, reconhecidamente, não sabe usá-lo (leia mais aqui e aqui), como os atletas se calam, os clubes se omitem e as Federações se aliam com medo de perderem suas bocadas e mesadas não há muito com o que fazer. Que pena, não? Todo mundo “cordeiramente” aceita, acata, se conforma com o estado medíocre, catatônico que se encontra o basquete.

Se quem deveria se indignar, se revoltar, articular formas de protesto ou mudança não faz, qual é o futuro da modalidade? Aliás, deixo aqui outra pergunta: se nem pra organizar a Supercopa Brasil a CBB serve, visto que nem fornecer as passagens ela consegue,   será que não chegou a hora de passar mais essa competição adiante (leia-se Liga Nacional de Basquete)? A falta de competência dela (Confederação) me parece bem clara, não?


Araraquara está fora da LNB, Super Copa Brasil define hoje dois próximos participantes do NBB
Comentários Comente

Fábio Balassiano

Que dia importante para o basquete brasileiro nesta sexta-feira. Daqui a pouco, a partir das 18h, acontecem as duas semifinais da Super Copa Brasil, que está sendo disputada em Mogi das Cruzes. Quem vencer garante vaga no NBB5 (caso, claro, cumpra os requisitos exigidos pela Liga Nacional de Basquete).

Aqui cabe um esclarecimento importante. Conversei hoje de manhã com a Liga Nacional de Basquete, e ela me informou algumas coisas. Vamos lá. A respeito do limite máximo de 50% de vagas para um determinado estado, isso não será problema (caso dois dos três paulistas cheguem a final da Super Copa). Suzano, com a franquia de Assis, entrará, mas Araraquara pediu desfiliação da LNB está fora da próxima edição do NBB (irá remontar seu projeto de basquete). Para saber mais, clique aqui.

Sendo assim, mesmo que dois paulistas que estão nas semifinais de hoje vão pra decisão e automaticamente se classifiquem para a competição nacional, eles poderão jogar o NBB5 caso cumpram com os requisitos da LNB (seriam 10 do estado de SP – Pinheiros, Paulistano, São José, Limeira, Assis, Franca, Liga Sorocabana, Bauru e eventualmente os dois da Super Copa).

Pronto, agora vamos aos duelos.

– No jogo que começa às 18h, o Palmeiras, de enorme tradição e mesclando a experiência de nomes como Gilson de Jesus, o Gilsinho, ao jovem promissor Arthur Pecos, mede forças com o invicto XV de Piracibaba (cuja tradição também é enorme – a cidade já teve ninguém menos que Wlamir Marques), dos experientes Gorauskas, Alfredo e Telmo. Promessa de bom jogo.

– Às 20h, Mogi, o dono da casa, tenta fazer a festa da torcida diante do Lajeado (RS), único time fora de São Paulo com chances de jogar o NBB5 via Super Copa Brasil. Sob o comando de Marcelinho Rato, os mogianos venceram as três partidas da fase de classificação (diferença média de 24 pontos) e contam com Guilherme Filipin em ótima fase (14,7 pontos). Do outro lado, o trio formado por Panizza, Corey e Bruno (45 pontos de média na competição) promete incomodar um bocado.

Quem será que vence nesta sexta-feira pelas semifinais? Vitória garante vaga no NBB5!


Giro rápido: Super Copa Brasil, WNBA, Sul-Americano Sub15
Comentários Comente

Fábio Balassiano

- Começou hoje a Super Copa Brasil, que está sendo disputada em Mogi das Cruzes (SP). São quatro clubes em cada chave, os dois primeiros avançam às semifinais e os dois finalistas garantem vaga no NBB5 caso cumpram todos os requisitos da Liga Nacional de Basquete. Mais informações sobre a competição aqui. Aqui, boa matéria sobre o resgate do basquete do Palmeiras, que participa da competição, divulgada no Lance! de hoje.

– Ontem começou o Sul-Americano Sub15 no Uruguai. O Brasil sofreu um bocado, mas venceu a Colômbia por 89-85 na prorrogação. Esta é a primeira etapa de formação de atletas de seleção, e é bom ficar de olho no time comandado por Ricardo Oliveira. O torneio garante três vagas na Copa América de 2013. Gabriel, Rafael, Walisson, Henrique e Pedro Paulo foram bem. Hoje é a vez do Peru.

– Não parece, mas a temporada da WNBA começa esta semana. Sem brasileiras, porque Érika, Damiris e Iziane estão com a seleção brasileira, sem muitas europeias, que estão com seus respectivos times nacionais, e sem Lauren Jackson, que está com a Austrália, mas começa. Bom ficar de olho no Minnesota, atual campeão, no sempre forte Phoenix Mercury, no Indiana Fever e no Los Angeles Sparks, que parece enfim ter encontrado uma jogadora para dividir o garrafão com Candace Parker, a número 1 do Draft Nneka Ogwumike. A abertura é na sexta-feira, dia 18, com o duelo entre Seattle Storm e o próprio Sparks.


Em Mogi, Super Copa Brasil decide dois próximos integrantes do NBB
Comentários Comente

Fábio Balassiano

No final de semana foram definidos os últimos classificados para a fase final da Copa Brasil, a denominada Super Copa Brasil, competição organizada pela Confederação Brasileira que dá ao campeão e vice vaga no NBB. E nesta quarta-feira também foi confirmada a cidade de Mogi das Cruzes (SP) como sede da etapa que acontece entre os dias 14 e 19 de maio.

O regulamento é o seguinte: serão dois grupos de quatro times, com todos jogando contra todos. Os dois primeiros de cada chave avançam às semifinais. Os dois melhores fazem a final e garantem o direito de participar do NBB5. É importante lembrar que para de fato entrarem na competição organizada pela LNB é necessário preencher os requisitos técnicos e financeiros exigidos pela entidade. Em 2010-2011, Tijuca e Liga Sorocabana entraram no NBB via Super Copa Brasil. Ambos disputaram esta quarta edição, se classificaram para os playoffs, mas já foram eliminados.

Os times que participarão da etapa decisiva da Super Copa Brasil são: Planalto-DF (Centro-Oeste), Sport Recife-PE (Nordeste); Assembléia Paraense-PA (Norte); Lajeado-RS e Campo Mourão-PR (Região Sul); Palmeiras, XV de Piracicaba e Mogi/Sanifil, todas de São Paulo (Região Sudeste).

Jornalista não torce (porque quem torce, distorce), mas que seria muito bom vermos um clube do Nordeste/Norte no NBB5, isso seria. Vale lembrar, também, a presença de duas equipes “de camisa” (Palmeiras e Sport/PE) com bastante tradição no basquete (Oscar, Wlamir, como treinador, e Leandrinho já vestiram verde; e o rubro-negro pernambucano participou de Nacionais Femininos recentes com equipes bem boas).

Quem será que fica com as vagas no NBB5? Palpites na caixinha!


< Anterior | Voltar à página inicial | Próximo>