Bala na Cesta

Arquivo : Michael Jordan

Idolatria: Kobe Bryant lidera venda de camisas no mercado chinês; Curry é o 2° e Jordan o 3º
Comentários Comente

Fábio Balassiano

Kobe Bryant se aposentou das quadras ao final da temporada passada. A idolatria ao craque do Los Angeles Lakers, porém, segue intacta na China. O escritório da NBA no país asiático divulgou ontem à noite a lista das camisas mais vendidas entre setembro de 2015 e outubro de 2016.

A camisa 24 angelina foi a líder de um dos maiores mercados do planeta, superando a do MVP Steph Curry, astro do Golden State Warriors e líder em vendas no mercado americano.

Atrás de Curry ficou Michael Jordan, que mesmo depois de uma década aposentado ainda vende bastante. Após o melhor de todos os tempos vieram LeBron James (Cleveland Cavs), Allen Iverson (Philadelphia 76ers e também aposentado), Tim Duncan (San Antonio Spurs) e Russell Westbrook (Oklahoma City Thunder). Outro ex-jogador também está na lista dos 15 primeiros: Tracy McGrady, muito popular na Ásia por ter jogado com Yao Ming, astro local, nos tempos de Houston Rockets.

Um dado interessante é que Kobe liderou a venda de camisas na China e também fez com que o Lakers, mesmo com a campanha ruim de 2015/2016 (17 vitórias em 82 jogos), liderasse o ranking de produtos oficiais dos times na China. Em segundo lugar veio o Golden State Warriors, finalista da temporada passada. Cleveland, o campeão de 2016, Chicago Bulls e Houston Rockets fecham os cinco primeiros.


Uma pequena história sobre o genial Michael Jordan – leia e veja o vídeo!
Comentários Comente

Fábio Balassiano

jordan1História sobre Michael Jordan que me foi enviada pelo leitor Átila Viana na noite de domingo. O vídeo está abaixo, mas foi assim o relato de Byron Scott, ex-jogador do Lakers nas décadas de 80 e 90:

“Na temporada 1992-1993 os Bulls vieram a Los Angeles nos enfrentar e Michael Jordan ficou sabendo que eu não iria jogar porque estava com tornozelo torcido, infelizmente. Eu gostava de marcar o Mike porque quando jogava contra ele nunca o deixava bravo. Se ele convertia um arremesso eu falava ‘bom arremesso, Mike!’ e por aí vai. Contra o Jordan você não pode falar nenhuma besteira se não ele faz 60 pontos na sua cabeça. Então você tenta contê-lo sendo bonzinho. Nada de falar besteira pra ele.

peeler1Neste jogo os Bulls estavam chegando na nossa arena e nós tínhamos acabado de sair do treino de arremessos. Michael me abordou:

– E aí, Scott, o que houve? Fiquei sabendo que você não vai jogar hoje.
– Não vou, Mike, torci o tornozelo.
– Quem vai me marcar então?
– Anthony Peeler,
– Hummmm. Entendi. Cinquenta

Michael Jordan estava rindo e me dizendo que contra Peeler marcaria pelo menos 50 pontos naquele dia”.

Michael Jordan terminou o jogo com 54 pontos , mas os Bulls perderam na prorrogação. Este era Michael Jordan.


Oeste vence, e Westbrook entra pra história no último All-Star de Kobe
Comentários Comente

Fábio Balassiano

kobe2Foi um All-Star Game da NBA como outros que a gente já viu. Muita festa, muita enterrada, muita bola de três livre, muito tudo quando o tema for o lado ofensivo. Pra quem gosta de basquete (competitivo), nem é tão agradável assim.

A diferença é que, além do fato de ter sido jogado fora dos Estados Unidos (em Toronto, pela primeira vez), dessa vez houve uma série de (belas) homenagens a Kobe Bryant, que aos 37 anos disputou seu derradeiro ASG (o de número 18), o que deixou principalmente o primeiro tempo bem bacana de assistir (o show do Sting no intervalo foi bem legal também). Aplaudido a cada instante, o ala-armador do Los Angeles Lakers terminou com 11 pontos (4/11 nos chutes), 7 assistências e 6 rebotes em 26 minutos. Veja a reverência feita a ele antes da bola subir e logo em seguida cenas dos bastidores:

westbrookEm quadra, o Oeste venceu o Leste por 196-173, e Russell Westbrook, armador-competitivo-ao-extremo do Oklahoma City Thunder, entrou de vez para a história da festa. Ele foi eleito o MVP ao anotar 31 pontos, 8 rebotes e 5 assistências. O camisa 0 do OKC, torna-se, assim, o primeiro atleta da história da liga a ganhar o troféu sozinho em anos seguidos. Em 1958 Bob Pettit, ala-pivô do St. Louis Hawks, ficou com o troféu, só que no ano seguinte ele dividiu o caneco com Elgin Baylor, do Lakers (à época ainda em Minneapolis). Em um jogo cada vez mais rápido e físico, ter Westbrook (um “cavalo” físico) como o melhor entre as estrelas não deixa de ser sintomático.

jordan1No final da peleja, a NBA anunciou que o próximo All-Star Game será mesmo em Charlotte, Carolina do Norte. O “garoto-propaganda” até que era conhecido – veja só na foto ao lado. Michael Jordan, como se imaginava, queria alucinadamente levar a festa para a cidade do seu time (o Hornest), e estava desde o ano passado conversando com Adam Silver, o comissário-geral da liga, sobre isso. Silver bateu o martelo na semana passada, e MJ acabou “vencendo” mais uma.

Abaixo as 10 melhores jogadas da noite de domingo em Toronto:


O dia que Michael Jordan jogou com a camisa 12 na NBA
Comentários Comente

Fábio Balassiano

MJ1Véspera do começo da temporada 2015/2016 (palpitão do blog aqui), o dia 26 de outubro de 2015 marcou o aniversário da estreia de Michael Jordan na NBA. Em 1984, o ala do Chicago Bulls debutou contra o Washington Bullets (que depois seria o outro time pelo qual atuaria…) cercado de expectativa (MJ já era campeão olímpico em Los Angeles com a seleção norte-americana de Bob Knight e universitário com North Carolina de seu mestre Dean Smith) e teve 16 pontos, 7 assistências e 6 rebotes na vitória do Bulls, em casa, por 109-93 diante de 13.913 testemunhas do primeiro jogo profissional daquele que se tornaria, depois, o melhor atleta da história do basquete.

mj2Depois daquele 26 de outubro de 1984 muita coisa se passou, a camisa 23 virou um ícone mundial e uma das mais vendidas da NBA até os dias de hoje. O que pouca gente sabe é que Michael Jordan jogou uma vez com a camisa 12 do Chicago Bulls. Sim, com a camisa 12. Foi na temporada 1989/1990 (a primeira de Phil Jackson no comando da franquia) e aconteceu em 14 de fevereiro de 1990.

O Chicago estava em uma série de seis jogos fora de casa e chegou a Orlando para enfrentar o Magic no último deles longe do lar. No vestiário, a equipe notou que a camisa 23 havia sido furtada por um fã (que até hoje não apareceu).

mj3O roupeiro do Bulls ainda tentou, em uma ação desesperada, ir às arquibancadas para ver se havia algum torcedor com a camisa 23 do Bulls, mas ninguém estava com a vermelha (do visitante que seria usada minutos depois por MJ) e com o tamanho adequado para vestir um cara de quase 2m de altura.

Faltando uma hora pro jogo todos estavam sem saber o que fazer até que abriram todas as malas e notaram que havia uma camisa 12 sem nome justamente para o caso de alguma urgência. Era uma urgência. E Michael Jordan jogou com a camisa 12. Sem nome nas costas. Com ela foi anunciado pelo locutor do ginásio (veja vídeo abaixo). Com ela fez 49 pontos (21/43 nos chutes), apesar de não ter saído com a vitória (135-129 pro Magic na prorrogação).


Michael Jordan ganha ação de US$ 8,9mi por uso indevido de imagem
Comentários Comente

Fábio Balassiano

jordan23Um empresário de Chicago teve uma ideia “genial”: usar a imagem de Michael Jordan para tentar aumentar as vendas de seu restaurante de carne (Dominick’s). Fez o anúncio ao lado colocando uma oferta (de comida) abaixo do eterno número 23 e de uma bola de basquete. Tudo certinho, né?

Não exatamente. O empresário “só” esqueceu de pedir autorização de imagem para Michael Jordan. MJ, revoltado, entrou com processo na Justiça de Chicago e ontem mesmo saiu a sentença. Resultado? Pena de US$ 8,9 milhões para o restaurante por usar a imagem de Jordan sem autorização do próprio.

jordan2No final da audiência, Michael Jordan conversou com a imprensa e não deixou de usar o humor para falar de sua vitória: “Estou acostumado a jogar em outras quadras”, em uma referência a palavra court, que em inglês significa quadra e também o local onde acontecem as audiências: “Isso mostra que eu continuarei a proteger a minha imagem ao máximo. É o meu nome que está em jogo, e é algo que lutei muito para alcançar. Não vou deixar ninguém roubar isso”, finalizou.

Jordan disse, obviamente, que não entrou com processo por uma questão financeira, mas sim por essa questão mesmo de proteger a imagem.


Em texto, Kobe exalta Jordan: ‘Honrando o cara que me fez desafiar tudo’
Comentários Comente

Fábio Balassiano

Por Kobe Bryant, no The Players’ Tribune

kobe1“Zero. Esse é o número de pontos que marquei em todo o verão quando joguei a Liga de Sonny Hill na Filadélfia quando tinha 12 anos. Eu não fiz ponto. Nem um lance-livre, nem uma bandeja acidental, nem um arremesso de sorte entrou.

Meu pai Joe “Jellybean” Bryant (à esquerda) e meu tio John “Chubby” Cox eram lendas da Liga. Meu pai como um ala de mais de 2,05m e meu tio como um armador de mais de 2m. E eu estava colocando a minha família na rota da vergonha!

kobe2Considerei simplesmente desistir de basquete e focar apenas em futebol. E é aqui que meu respeito e admiração por Michael Jordan foi forjada. Soube que ele tinha sido cortado do time de escola quando era calouro. Soube que ele aprendeu como era a sensação de ficar constrangido, de se sentir perto de ser uma falha. Mas ele usou essas emoções para abastecê-lo, torná-lo mais forte. Ele não desistiu.

Então decidi assumir o meu desafio da mesma forma que ele fez. Canalizaria meu fracasso como combustível para manter o meu fogo competitivo queimando. Tornei-me obcecado em provar a minha família – e, mais importante, a mim – que poderia fazer aquilo (jogar basquete).

kobe3Tornou-se, então, uma obsessão. Eu aprendi tudo sobre o jogo. A história, os jogadores, os fundamentos. Eu não só estava determinado em nunca mais ter um verão com um zero de novo. Fui levado a ter a mesma sensação de fracasso que a concorrência nutria por mim. Meu instinto assassino para pontuar nasceu assim.

kobe4Vinte e quatro anos mais tarde, eu passei a minha inspiração, meu ídolo.

Que jornada incrível tem sido. Chegar a esta marca é uma grande honra. Estou bem ciente do toque de recolher Tempo. Ele enviou-me para o meu quarto para escovar os dentes, mas eu não seria eu se eu não caminhasse até o banheiro lentamente. Eu não seria eu se eu não agisse como alguém que perdeu o creme dental. Eu não seria eu se eu não escovasse todos os dentes duas vezes, escovasse a língua três vezes, usasse o fio dental até que minhas gengivas sangrasse e enxaguasse com bochechos até o interior de minhas queimaduras na boca ficarem dormente.

MJ1Não seria o garoto que se recuperou após aquele zero. E eu não estaria honrando o homem que me inspirou a desafiar tudo.

Obrigado a todos por seu amor e apoio. É algo que eu realmente aprecio, muito embora o vilão que esteja dentro de mim se recuse a reconhecer isso o tempo todo.

Com muito Amor,

Mamba”

Meu comentário: Dá para comentar algo depois de ler uma carta linda como esta? Que texto incrível…


Michael Jordan felicita Kobe pelo feito deste domingo – leia nota!
Comentários Comente

Fábio Balassiano

Los Angeles Lakers guard Kobe Bryant(L) and ChicagMichael Jordan foi ultrapassado por Kobe Bryant na lista dos maiores cestinhas da NBA mas não perdeu a classe. Melhor jogador de todos os tempos (é o que vale, no final das contas, não é mesmo?), ele enviou uma nota para a Associated Press em que felicita o ala do Los Angeles Lakers pelo feito conseguido na noite deste domingo em Minnesota (Kobe precisava de 9 para superar MJ e terminou com 26):

“Felicito Kobe Bryant por ter conseguido chegar a essa expressiva marca. Ele é obviamente um grande jogador, com um grande comprometimento com o jogo, com sua evolução física e técnica e também um apaixonado pelo basquete. Sempre adorei vê-lo jogar em todos estes anos e agora espero pelos próximos feitos que ele irá atingir”.

kobeMuita classe de MJ, hein! Como sempre foi dito, ele e Kobe Bryant SEMPRE se deram muito bem. Kobe tem Jordan como ídolo maior e fez questão de beber na melhor fonte possível. Como disse aqui ontem, ultrapassar o melhor de todos no esporte ao menos em um quesito não é algo fácil a se fazer. E o camisa 24 do Lakers conseguiu.


O momento em que Kobe Bryant passa Michael Jordan – veja!
Comentários Comente

Fábio Balassiano

O relógio marcava 5:24 por jogar no segundo período quando Kobe Bryant foi para a linha de lance-livre. Ele tinha sete pontos. Precisava acertar seus dois arremessos da marca fatal para ultrapassar Michael Jordan e se tornar o terceiro maior cestinha da história da NBA. E o camisa 24 conseguiu.

Veja o lance, o emocionante momento e a homenagem feita pelo Minnesota Timbervoles (muita classe, bem legal!) em seu ginásio para ele, um dos maiores gênios da história do basquete. O dono da franquia Timberwolves, Glenn Taylor, fez questão de entrar na quadra para entregar a bola a Kobe em uma atitude bem bacana.

 
momentoInteressante de se notar que, agora, os três maiores cestinhas da história da NBA (Kareem Abdul-Jabbar, Karl Malone e Kobe) jogaram na franquia Lakers, e quatro dos cinco primeiros também (só Michael Jordan aparece como intruso entre o trio e Wilt Chamberlain, o quinto).

No intervalo o Lakers vai vencendo o Minnesota por 49-44 em uma pelada horrível. O feito de Kobe (14 pontos até então), porém, é muito maior que isso e merece ser comemorado. Ele ultrapassou uma lenda, o melhor jogador de todos os tempos e isso não é pouca coisa. Grande craque, grande personagem do esporte. Parabéns a ele pelo feito!


É hoje – Kobe vai passar Jordan para se tornar o 3º maior cestinha da NBA
Comentários Comente

Fábio Balassiano

doisHoje é um dia especial para quem gosta de basquete. A não ser que aconteça uma catástrofe de proporções imensas neste domingo, 14 de dezembro de 2014, Kobe Bryant vai ultrapassar Michael Jordan para se tornar o terceiro maior pontuador da história da NBA.

Seu Los Angeles Lakers pega o frágil Wolves em Minnesota e o camisa 24 precisa de módicos 9 pontos para deixar os inesquecíveis 32.292 (com Chicago Bulls e Washington Wizards) de MJ no retrovisor, ficando atrás apenas de Karl Malone (36.928) e Kareem Abdul-Jabbar (38.387). Com média de mais de 25 nesta temporada, a marca deve ser batida antes mesmo do intervalo da partida que começa às 22h deste domingo (League Pass exibe).

kobe2Poderia despejar uma série de vídeos, números ou fatos que comparam Michael Jordan a Kobe Bryant, mas considero isso uma grande bobagem e uma imensa loucura. Jordan é único, o melhor jogador de todos os tempos deste esporte. Kobe, outro gênio, um dos melhores a ter pisado em uma quadra de basquete (Top-10 sem dúvida alguma). Compará-los é uma temeridade pelo simples fato que você perde tempo de fazer o mais importante em relação ao que ainda está em atividade (Kobe no caso) – admirá-lo.

kobe1Com o Lakers em frangalhos, vivendo de um brilhareco aqui, outro ali, como foi na vitória desta sexta-feira diante do San Antonio Spurs, vale a pena ficar olhando os feitos e os últimos movimentos do camisa 24 com a camisa angelina para aplaudir enquanto é tempo. Kobe Bryant está perto de se aposentar (seu contrato vai até 2016 e ele disse que é o seu último) com um currículo que inclui cinco títulos, sete finais, um punhado de jogadas espetaculares, outro tanto de cestas vencedoras e, agora, o terceiro lugar na lista dos maiores cestinhas da melhor liga de basquete do planeta. É coisa pra caramba.

kobe4Passar MJ não coloca Kobe em qualquer quesito melhor que o eterno campeão pelo Chicago Bulls (os números são frios por isso, sabemos bem), mas, pensando menos racionalmente e mais emotivamente (às vezes é bom), deve ser muito legal você ter se moldado como pessoa e como atleta tendo um cara como mentor e verificar que em alguma coisa você o estará ultrapassando (e Shaquille O’Neal disse a mesma coisa na NBA TV, veja aqui). Não é todo mundo que consegue ser maior que Jordan em alguma coisa no basquete, sabemos bem. Mr. Bryant conseguiu/conseguirá.

kobe5Deve ser este, hoje, o sentimento que passa na cabeça do rapaz que cresceu tendo o camisa 23 como um dos ídolos. Kobe Bryant é um mito do esporte que a gente ama, e este 14 de dezembro de 2014 é uma data pra lá de especial por conta disso tudo.

Termino justamente com uma frase de Jordan dita lá em 2003, quando ele passou Wilt Chamberlain para se tornar o terceiro maior cestinha da história da NBA: “Uma marca é uma marca. Acaba que resume todo o esforço que tive em minha carreira. Os números te definem para 10, 20 anos depois que você para de jogar. Títulos e vitórias importam no presente”. Lá pelas 23h deste domingo Kobe estará ultrapassando Michael e certamente será um momento muito especial para ele, para os Lakers e para quem ama este esporte.

Vale a pena acompanhar mais um feito deste mito do basquete. Daqui a 10, 20 anos vamos lembrar disso.


Com Kobe a 31 pontos de passar Jordan, NBA lança vídeo – assista!
Comentários Comente

Fábio Balassiano

Los Angeles Lakers guard Kobe Bryant(L) and ChicagAos 36 anos, Kobe Bryant encontrou fôlego para anotar nove de seus 32 pontos nos últimos três minutos da partida de ontem do seu Los Angeles Lakers diante do Sacramento Kings para dar a vitória ao seu time sobre o rival da Califórnia 98-95 (detalhes aqui) em casa na noite desta terça-feira. Com o resultado os angelinos se mantêm muito mal no campeonato (6-16), mas estão muito perto de assistirem Kobe bater a marca de Michael Jordan e se tornar o terceiro maior cestinha da NBA.

Com os 32 de ontem o camisa 24 do Lakers agora soma 32.262 em sua carreira de 18 anos pela franquia. Michael Jordan, que jogou pelo Chicago Bulls e pelo Washington Wizards, teve 32.292 pontos em sua magnífica jornada na NBA. Faltam, portanto, 31 pontos para Kobe superar  o melhor jogador de todos os tempos.

kobe_MJ1O recorde, que poderia se quebrado no templo de Jordan, o United Center, em Chicago no Natal (como comentei aqui antes da temporada), deve mesmo acontecer antes disso. Com a média de 25,5 pontos por noite (o líder da temporada 2014/2015 da liga no quesito), Kobe e os Lakers enfrentam, fora de casa, o Spurs na sexta-feira, o Wolves no domingo e o Pacers na segunda-feira. É muito provável que Bryant supere Jordan em Minnesota, onde, aliás, surgiu a franquia Lakers nos primórdios da NBA. À frente do angelino ficarão somente Karl Malone (36.928) e Kareem Abdul-Jabbar (38.387).

E pensando nessa passagem de bastão a NBA preparou um vídeo SENSACIONAL em que mostra momentos de reverência de Kobe a Jordan (e vice-versa), os aprendizados do menino Bryant para com MJ e também palavras carinhosas do eterno camisa 23 de Chicago em relação ao craque do Lakers. Veja abaixo porque é bem emocionante. Se precisar, clica na opção de legendagem do YouTube!