Bala na Cesta

Analisando e palpitando os confrontos dos playoffs da NBA

Fábio Balassiano

Ontem dei aqui os meus prêmios para a temporada 2016/2017 da NBA. Hoje é a vez de falarmos sobre os confrontos dos playoffs que começam hoje (programação completa, inclusive com transmissões, aqui). Sem mais delongas, vamos lá:

LESTE

CELTICS x BULLS -> Poderia ser mais uma série fácil entre primeiro e último de conferência, mas não é bem assim, não. O Boston Celtics, melhor time do Leste, é muito bem treinado por Brad Stevens, possui um bom elenco, mas de estrela, estrela mesmo, apenas Isaiah Thomas. E é um grupo ainda muito jovem. Do outro lado estarão Jimmy Butler, Dwyane Wade, Robin Lopez e sobretudo Rajon Rondo, campeão pelo Boston há quase uma década e jogando diante de fãs que o veneram. Acho que o Boston é o favorito, tem mais chances de passar, mas não será fácil, não. O Chicago fez uma temporada regular bem inconstante, tem um técnico bem abaixo dos padrões ótimos da NBA (Fred Hoiberg), mas os confrontos individuais, a rodagem maior do elenco e sobretudo a dupla Butler-Wade funcionando podem fazer com que essa série vá bem longe.
Meu palpite: Boston em 6

CAVS x PACERS -> Tinha tudo pra ser um duelo difícil, mas não acho que será, não. O Indiana se reforçou bem antes da temporada, encheu Paul George de jogadores teoricamente talentosos, mas sua fase regular foi catastrófica. Se classificou em sétimo na bacia das almas e verá LeBron James e os Cavs logo de cara. O Cleveland não foi brilhante, mas a gente sabe bem como um atual campeão consegue se transformar em uma pós-temporada. Ainda mais com LeBron, que pode ir para a sua sétima final consecutiva, liderando o elenco. Vale a pena ficar ligado no duelo que já saiu faísca antes entre Lance Stephenson, contratado recentemente pelo Indiana, e LeBron James. Não acho inteligente ficar provocando o camisa 23 de Ohio, mas a gente bem como funciona (ou não funciona) a cabeça de Stephenson, né. Esta pode ser a última série de playoff com Paul George vestindo a camisa do Indiana. Ele tem seu nome especulado em várias possíveis trocas, está insatisfeito pacas com os rumos da franquia Pacers e não duvido que se o mata-mata for um desastre (algo bem possível) ele não peça pra se mudar já nessas férias americanas.
Meu palpite: Cavs em 5

RAPTORS x BUCKS -> É uma pena que a gente não consiga ver o trio de jovens do Milwaukee jogando junto em uma pós-temporada. Jabari Parker se machucou na metade da temporada, e o técnico Jason Kidd passou quase que 100% da chave do time para o grego Giannis Antetokounmpo, que jogou uma barbaridade nesta fase regular. O problema é que o grego é a única estrela do Bucks, e do outro lado estarão dois All-Stars que jogaram com ele em Nova Orleans (Kyle Lowry e DeMar DeRozan) e um excelente elenco de apoio formado por DeMarre Carroll, Jonas Valanciunas, Serge Ibaka, Patrick Patterson, PJ Tucker, Cory Joseph e Lucas Bebê. O Bucks fez uma boa campanha (a melhor da franquia desde 2010), mas não sei se tem muito mais a oferecer neste playoff contra um time experiente e recheado de opções.
Meu palpite: Raptors em 5

WIZARDS x HAWKS -> Está aí uma série difícil de prever, analisar e palpitar. Pelo lado do Washington é mais tranquilo compreender o que se passa. A bola é de John Wall, armador que fez uma temporada regular excepcional, se consolidando como um dos melhores jogadores de sua posição na NBA e os arremessos são de Bradley Beal, Bojan Bogdanovic, Markieff Morris e Otto Porter Jr. . Isso funcionou bem demais na primeira fase, quando a equipe chegou a 49 vitórias. Do outro lado está um Atlanta Hawks que trouxe Dwight Howard e que coloca Dennis Schroder, o armador alemão, para ditar o seu ritmo. A franquia perdeu Kyle Korver na metade do campeonato, antes do certame viu Al Horford sair e ainda tentou, sem sucesso, trocar Paul Millsap, melhor jogador do time. Entre uma partida excelente e outra bizarra o Atlanta chega ao playoff sem a gente ter a menor noção do que pode acontecer com os comandados de Mike Budenholzer.
Meu palpite: Wizards em 6

OESTE

WARRIORS x BLAZERS -> É o duelo de dois excepcionais armadores (Steph Curry e Damian Lillard), de dois ótimos ala-armadores (Klay Thompson e CJ McCollum) e de dois jogadores de garrafão com ótima visão de jogo (Draymond Green e Jusuf Nurkic). O problema para o Portland é que as semelhanças entre ele e o Golden State Warriors param quando a gente começa a colocar Kevin Durant e Andre Iguodala na equação. O Blazers melhorou demais com a adição de Nurkic da metade pro final da temporada, mas está longe de ser um time que possa vencer o Warriors, duas vezes finalista da NBA nos últimos 2 anos, em uma série de sete jogos. Vai depender demais de performances absurdas de Lillard e McCollums, o que a gente saber que em playoff nem sempre é fácil. Pro Golden State, vai ser bom para entrosar ainda mais o seu elenco, já que Durant retornou às ações apenas no último sábado de temporada regular.
Meu palpite: Warriors em 5

SPURS x GRIZZLIES -> Não creio que dê muito para o cheiro aqui, não. O Memphis tenta jogar de uma maneira legal, diferente, mas totalmente fora dos padrões atuais da NBA (defendendo muito, sem tantas bolas de três tentadas e com ritmo lento). É divertido, eu gosto, parece um time dos anos 90, mas hoje em dia isso parece jurássico quando a gente olha um Houston Rockets, um Golden State jogando. Do outro lado estará o ''melhor programa de basquete'' da NBA atual, o San Antonio Spurs, que tem conseguido se adaptar às mudanças do esporte de maneira incrível nos últimos 20 anos. O Grizzlies teve problemas com lesão durante toda fase regular, e a gente não sabe bem em que condições estarão Marc Gasol, Mike Conley, Zach Randolph e Vince Carter, que aos 40 anos pode estar fazendo o último playoff de sua icônica vida profissional. O Spurs chega como sempre: descansado, com Kawhi Leonard voando e com Gregg Popovich brilhando no banco de reservas.
Meu palpite: Spurs em 4

ROCKETS x THUNDER –> É o duelo dos dois principais candidatos a MVP da temporada, mas a verdade é que o Houston tem mais a oferecer a James Harden do que o Oklahoma a Russell Westbrook. Acho que o Thunder vai endurecer fortemente a parada para o Rockets, vai jogar como franco atirador e sem nenhuma pressão, mas talvez falte um pouco para avançar com este elenco a uma segunda rodada de playoff, por exemplo. Olho no núcleo de apoio do Rockets formado por Trevor Ariza, Ryan Anderson, Eric Gordon, Patrick Beverley, Nenê e Clint Capela, responsável por levar a franquia a terceira posição do Oeste nesta temporada e que faz chover bolas de três nas partidas. Caso o OKC consiga diminuir a sanha ofensiva do Houston a gente pode imaginar que o confronto se estenderá um pouquinho mais.
Meu palpite: Rockets em 7

CLIPPERS x JAZZ –> Será sem dúvida alguma o confronto mais equilibrado dessa primeira rodada no Oeste. O Utah Jazz ficou com o mando de quadra durante a temporada regular inteira, mas no mês de março deu uma derrapada e o Los Angeles Clippers ficou com a quarta colocação. O Clippers, aliás, sabe que este é a última ''dança'' deste núcleo formado por Chris Paul, DeAndre Jordan e Blake Griffin, e eles jogam com esse senso de urgência para irem o mais longe possível. Do outro lado estará um Utah que volta ao playoff depois de cinco anos e que conta com um jogador excepcional chamado Gordon Hayward. O ala comanda uma franquia que também tem os ótimos George Hill, Rudy Gobert e Boris Diaw, que dão sustentação para que Hayward pontue com consistência. No final das contas, acho que o mando de quadra e a experiência vão pesar a favor do time de Los Angeles.
Meu palpite: Clippers em 7

E você, concorda comigo? Só lembrando que quem quiser ainda pode participar do bolão Bala na Cesta pros playoffs da NBA, hein… É só clicar aqui.