Bala na Cesta

Analisando e palpitando os confrontos das oitavas-de-final do NBB

Fábio Balassiano

Começa hoje o playoff do NBB. A partir das 19h30 o Vasco recebe o Pinheiros na abertura da fase oitavas-de-final do mata-mata do maior campeonato de basquete do país. Analiso agora os quatro duelos, que prometem ser bem equilibrados (aqui dias, horários e transmissões previstas). Lembrando que o formato decidido por clubes e Liga Nacional indica que os times de melhor campanha fazem os jogos 2, 3 e 5 em casa (diferente do 2-2-1 da NBA). Vamos lá:

Caio Casagrande/Bauru Basket

Bauru (5º) x Macaé (12º) -> Aparentemente este é o confronto menos equilibrado do playoff do NBB. Na fase de classificação foram duas vitórias bauruenses, e por mais que Macaé tenha evoluído neste final, vencendo cinco de seus sete últimos duelos e contando com ótimas atuações do norte-americano Kendall Anthony (média de 19,7 pontos até agora), é difícil imaginar que os macaenses consigam derrotar os atuais vice-campeões nacionais em três partidas na melhor de cinco. Bauru sofreu com desfalques a temporada regular inteira (perdeu Hettsheimeir recentemente sobretudo), mas pode usar esta primeira fase do mata-mata para evoluir como time e ganhar corpo para as quartas-de-final, onde encontraria Brasília para fazer a reedição das semifinais de 2016.
Meu palpite: Bauru ganha em 3 jogos

Ale da Costa / Portrait

Paulistano (6º) x Basquete Cearense (11º) -> É o reencontro dos times em um mata-mata (em 2012/2013 o Paulistano venceu por 3-2), mas em contextos completamente diferentes. O Basquete Cearense, que fez excepcional campanha em 2015/2016 (19-9), rateou e foi inconstante demais em 2016/2017, fechando o campeonato com mais derrotas que vitórias (12-16 e uma queda de sete triunfos). Do outro lado o Paulistano, comandado pelo ótimo técnico Gustavo de Conti, aposta em uma molecada de muito valor. Pelo que fez no campeonato até o momento (16-12), pelas duas vitórias na fase de classificação e pelo mando de quadra daria pra cravar sem medo o time de São Paulo nas quartas-de-final para enfrentar Franca, mas o lado emocional pode pesar um pouco. Georginho (que estará aqui em entrevista na quinta-feira, data do jogo 1 desta série) e Lucas Dias estarão liderando pela primeira vez um elenco em pós-temporada e isso pode frear um pouco o avanço do Paulistano.
Meu palpite: Paulistano supera rival em 5 jogos

Paulo Fernandes / Vasco

Vitória (7º) x Campo Mourão (10º) -> É o duelo de dois dos times mais surpreendentes do NBB até agora. O Vitória começou bem, ficou no G4 a temporada quase inteira, mas neste final perdeu um pouco da tração e foi caindo pelas tabelas ao perder seis dos seus últimos oito jogos. Campo Mourão, estreante, teve fase regular parecida. Sempre lá em cima, mas neste final cinco derrotas consecutivas e campanha negativa (13-15). Nos dois últimos duelos da primeira fase, inclusive, não conseguiu marcar mais do que 55 pontos (42 contra Franca e 54 contra Bauru, números baixíssimos) Aparentemente para os dois lados o que acabou influenciando foi o fato de os dois elencos não serem tão numerosos assim e os técnicos, já pensando nos playoffs, deram uma bela desacelerada nas rotações. Gosto bastante do duelo que poderemos ter nas alas, com os baianos colocando Keyron, Andre Goes e Arthur para marcar Betinho, o melhor jogador de Campo Mourão e um dos cestinhas do NBB com 19,2 pontos. Creio que a experiência de Régis Marrelli, técnico do Vitória, seja um fator importante para este duelo, embora reconheça o bom trabalho feito por Emerson de Souza na equipe paranaense.
Meu palpite: Vitória passa em 4 jogos

Thiago Moreira / Vasco

Pinheiros (8º) x Vasco (9º) -> Certamente o duelo mais equilibrado desta primeira fase de playoff do NBB. Os dois times, que se enfrentaram na última rodada da temporada regular (vitória vascaína por 81-72 em São Paulo), abrem o duelo nesta terça-feira em São Januário e prometem se engalfinhar até a última gota neste mata-mata. Vale destacar o confronto de dois dos melhores jogadores deste NBB: Desmond Holloway, cestinha do Pinheiros com 18,5 pontos, e David Jackson, autor de 16,9 pontos pelos vascaínos. São dois dos melhores atletas deste campeonato e que jogam na mesma posição. Vamos ver o que os dois técnicos, Cesar Guidetti do Pinheiros e Dedé, do Vasco, têm em mente para frear o ímpeto ofensivo destas peças. Além disso destaco o embate entre os armadores Bennett, do Pinheiros, e Nezinho, do Vasco. Bennett é atlético, venceu o campeonato de enterradas neste ano, e agride a cesta com facilidade e tem 14,2 pontos de média até agora. Nezinho, experiente toda vida, sofreu com lesões e retornou ao cruzmaltino apenas na última semana da fase inicial. No jogo que vi, contra o Paulistano dos garotos Georginho e Arthur Pecos, ele sofreu um pouco pela questão física. Pode ser que os pinheirenses explorem isso muito bem a partir de hoje inclusive. No final, creio que a torcida possa ajudar os vascaínos a passar de fase.
Meu palpite: Vasco avança em 5 jogos

Concorda comigo? Tem palpite para esta oitavas-de-final do NBB? Comente você também!

Tags : LNB NBB