Bala na Cesta

Em 1ª temporada junto do NBB, LBF não participará do Jogo das Estrelas

Fábio Balassiano

lbf1Senta na cadeira, porque vem aí mais um capítulo para o teatro dos absurdos que é o basquete feminino brasileiro. Ao contrário do que aconteceu em Franca ano passado, em 2016 não teremos Jogo das Estrelas da Liga de Basquete Feminino em conjunto com o do NBB. Não para por aí. Tampouco teremos uma festa das meninas de forma separada como houve em 2014 em São José dos Campos (ou seja, não haverá nada de nada). A informação foi confirmada ontem pela Liga Nacional de Basquete, que organiza tanto LBF quanto o NBB.

lbf1O Jogo das Estrelas do NBB está confirmado para os dias 19 e 20 de março em Mogi e terá transmissão do Sportv (sábado) e da TV Globo (domingo). Assim como aconteceu em 2015, em Franca, esperava-se que houvesse a festa das meninas em conjunto com a dos rapazes, aproveitando toda a estrutura que é montada pela turma da Liga Nacional para atrair mais torcedores para o feminino também. O fato choca ainda mais por não vermos continuidade do que aconteceu ano passado pelo fato de as duas entidades (LBF e LNB) terem unido forças no começo desta temporada. Se separadas fizeram o evento juntas, qual a razão de não haver agora, que andam (em teoria) mais próximas?

lbf1Há uma explicação – doida, mas há. Segundo o blog apurou, os seis clubes que estão na atual edição da LBF não quiseram arcar com as despesas (de viagem e acomodação) das atletas convocadas (cerca de quatro por equipe). Talvez as agremiações enxerguem o Jogo das Estrelas como custo, em um erro crasso de gestão e de miopia em marketing. Ignoram, todos eles, o investimento em imagem, construção de marca e exploração de suas marcas em uma cidade que ama a modalidade (cidade que não tem o feminino…) e com exibição das festas de domingo em TV Aberta como fundamentais para o feminino voltar a crescer. Ao que parece, aliás, o Desafio de Trios (aquele com um jogador do NBB, uma lenda do basquete e uma atleta) está mantido, com três ou quatro meninas da LBF participando ao menos disso.

pocoEis a belíssima temporada do basquete feminino brasileiro na véspera da Olimpíada. Vejam só vocês. Começa a LBF com seis clubes. Cinco dos seis times brigam com a Confederação, e o evento-teste para o Rio-2016 é um fiasco. Apenas três jogos na TV durante a temporada regular. Para completar, nada de Jogo das Estrelas para as meninas. Qual o próximo passo deste poço ainda sem fundo conhecido? Só que tem uma coisinha singela: se a CBB não está preocupada, se os clubes estão satisfeitos com os rumos da modalidade assim e as meninas ficam caladas, por que diabos eu devo me preocupar? Não devo, né?

Procurada por este blog no final da tarde de ontem, a assessoria da Liga Nacional de Basquete enviará respostas aos questionamentos do blog até o final do dia – e este blogueiro as publicará tão logo seja possível.

Tags : LBF LNB NBB